Foto: Ciciro Back

Volante deu a volta por cima, renovou até 2010 e está numa fase espetacular.

Nos últimos sete anos as histórias de Alan Bahia e Atlético se confundem. Ambos passaram por períodos difíceis e tiveram força suficiente para dar a volta por cima. Em comum também a necessidade de estarem provando algo a cada rodada e o carisma da torcida.

O volante atleticano está com moral elevado e voltou a cair nas graças do torcedor após tornar-se o herói da ressurreição rubro-negra no Estadual. Em Irati, marcou o gol da vitória e repetiu a dose diante do Paraná Clube. A boa seqüência de jogos será interrompida amanhã, pois ele cumprirá suspensão automática por ter recebido o terceiro cartão amarelo.

Nesta temporada, Alan tem sido extremamente útil, tanto que é o jogador de linha que mais atuou ao lado do capitão Antônio Carlos. Mesmo sem ser titular, o volante marcou presença em 17 das 19 partidas disputadas no Paranaense e assinalou três gols.

Recomeço

Alan perdeu espaço no começo do ano para a dupla Claiton e Valencia, mas sempre entrava nos jogos. Com a saída do ?Predador da Baixada?, ganhou uma nova chance. Pela forte ligação que tem com o clube, pois é um jogador de muita raça e disposição, coube a ele o papel de aproximar o grupo do torcedor -tarefa antes feita por Claiton. Nas duas últimas vitórias, por exemplo, o volante foi comemorar seus gols com a torcida e no final das partidas também correu para os braços da galera, chamando a participação de seus companheiros de time.

Nesta semana, o jogador renovou seu contrato até 2010 e demonstrou muita felicidade por mais esse crédito dado pela diretoria atleticana. ?Me identifico muito com o clube e fui criado aqui dentro. Espero ficar muito tempo para conseguir cada vez mais conquistas?, disse Alan Bahia.

O Furacão é praticamente o único clube do volante, já que ele foi descoberto pelo PSTC (Londrina) e veio em 2001 para o Rubro-Negro. Desde então teve seus altos e baixos, mas sempre jogando e cativando a torcida mais pela raça do que por técnica e habilidade.

?Fui criado no Atlético e tudo que tenho devo muito ao clube. Tenho um carinho muito grande por esta torcida.?

Furacão quer o primeiro lugar

Foto: Arquivo

Rhodolfo diz que o segredo da zaga é o companheirismo.

Fazer gols para tirar a liderança do Engenheiro Beltrão. Esse é o objetivo já que a defesa atleticana está cada vez mais sólida. Nas 19 partidas disputadas no Paranaense, em nenhuma delas, a zaga sofreu mais de um gol. Para o zagueiro Rhodolfo isso se deve ao entrosamento do grupo. ?Entre os três zagueiros ninguém pensa individualmente e está sempre um ajudando o outro. Assim a defesa aparece como um todo. Com a ajuda dos volantes dá uma consistência maior. E o grupo também está bem unido?, explicou.

Para infelicidade do zagueiro, na última quinta-feira ele foi ?premiado? com um cartão amarelo, o que acabou com a impressionante marca que o jogador carregava. O defensor ainda não havia recebido cartão em todo o Paranaense, em uma posição em que a falta é um recurso de jogo. ?Foi uma pena. Gostaria de manter essa marca ainda mais tempo?, finalizou.

Opções

Ney Franco começa a definir hoje os titulares para enfrentar o surpreendente Engenheiro Beltrão. Para o jogo de amanhã, às 15h45, na Arena, o herói Alan Bahia estará suspenso e o seu substituto só deverá ser conhecido no vestiário. O treinador tem várias opções. A simples entrada de Léo Medeiros ou Zé Antônio fazendo a função de Alan. E também poderá recuar Gabriel Pimba e lançar Willian no ataque. Com essa última formação aumentaria o poderio ofensivo do Furacão.

Davi contra Golias

O Engenheiro Beltrão vem para Curitiba enfrentar o Atlético, num jogo classificado pelo presidente do Aereb, Luiz Linhares, como Davi contra Golias. O Rubro-Negro é apontado pelo mandatário como favorito, mas destaca que no futebol tudo é possível.

Para esse confronto, o surpreendente Beltrão, comandado por Cláudio Piruá, não poderá contar novamente com o atacante Eydison – algoz atleticano que, no jogo realizado no noroeste do Estado, fez um golaço de bicicleta. O jogador está suspenso por causa do terceiro cartão amarelo.