Acabou nesta terça-feira o sonho do Milan de conquistar na mesma temporada os dois títulos disputados no futebol da Itália. Três dias depois de conquistar, com duas rodadas de antecipação, o Campeonato Italiano, o time rubro-negro de Milão foi derrotado pelo Palermo por 2 a 1, na Sicília, e ficou pelo caminho nas semifinais da Copa da Itália. Na partida de ida, há três semanas, o confronto no estádio San Siro havia terminado em um empate por 2 a 2.

Carrasco de vários clubes grandes do país quando atua em seu estádio, o Renzo Barbera, o Palermo conseguiu a classificação à final da Copa da Itália, que será realizada em jogo único no estádio Olímpico de Roma, no próximo dia 29. O seu adversário será conhecido nesta quarta, quando Internazionale e Roma se enfrentarão no estádio Giuseppe Meazza, em Milão. Na ida, na capital italiana, vitória da equipe comandada pelo técnico brasileiro Leonardo por 1 a 0.

Essa é a terceira vez que o Palermo chega à decisão da Copa da Itália. Nas outras duas ocasiões, o título não veio – na temporada 1973/1974, derrota para o Bologna; e na temporada 1978/1979, a queda foi para a Juventus, de Turim.

Em campo, o Milan precisava da vitória e sabia que tinha pela frente uma equipe forte em casa, mas com uma defesa frágil – é a segunda mais vazada do Campeonato Italiano com 59 gols sofridos em 36 partidas. Por isso, a ordem do técnico Massimiliano Allegri era atacar. O time, com o brasileiro Alexandre Pato e o sueco Ibrahimovic no ataque, fez isso desde o início, mas não mostrou bom aproveitamento nas conclusões.

Na segunda etapa, o Palermo reagiu, equilibrou as ações do jogo e conseguiu marcar o primeiro gol, aos 19 minutos. Após escanteio cobrado pelo lado esquerdo, Migliaccio subiu atrás da marcação milanista dentro da pequena área e acertou a cabeçada no canto esquerdo de Abbiati. Para piorar a situação, aos 28, o zagueiro holandês Van Bommel foi expulso ao cometer pênalti e Bovo converteu a cobrança para fazer 2 a 0.

Mesmo com a expulsão do mesmo Bovo no minuto seguinte ao seu gol, por ter acertado um chute no rosto de Alexandre Pato, o Milan não teve forças para conseguir o empate, que levaria a partida para a prorrogação. O máximo que conseguiu foi diminuir com Ibrahimovic, já aos 48 minutos.