Vagner Love é a esperança de gols do Palmeiras.

São Paulo – Palmeiras e Santos irão fazer a partida decisiva das semifinais do campeonato paulista fora de casa. Ontem, em sorteio realizado na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF), com os presidentes dos quatro clubes finalistas, ficou decidido que o Palmeiras será o mandante do primeiro confronto contra o Paulista, sábado, às 16h, no Parque Antártica. A volta acontece no domingo seguinte dia 4, ainda sem local definido.

“A expectativa é de um grande público, assim como aconteceu em todos os jogos da série B do brasileiro do ano passado. Será um importante desafio, já que o Paulista terminou a primeira fase na nossa frente”, argumentou o presidente Mustafá Contursi.

Eduardo Palhares, presidente do Paulista, chegou a comemorar o sorteio. Mas não demorou muito para o ar de satisfação dar lugar à preocupação. Após o sorteio, o presidente da FPF, Marco Polo del Nero, ressaltou que o mando da segunda partida ainda dependeria da análise das imagens da briga entre as torcidas de Paulista e Ponte Preta.

“O sorteio foi muito bom para a cidade de Jundiaí. Uma semifinal histórica que trará muita ansiedade e satisfação para todos. Não quero nem pensar em mandar essa partida em outro lugar”, revelou Eduardo Palhares.

Após cinco horas de conversas, o presidente do Paulista deixou a FPF bastante abatido. O local do jogo de volta dependerá da decisão do Tribunal de Justiça Desportiva, que analisará todas as evidências do confronto de torcidas. Caso o clube de Jundiaí seja punido, a partida deverá acontecer em Ribeirão Preto ou Presidente Prudente.

O Santos jogará com o São Caetano, domingo, também às 16h, na Vila Belmiro. O jogo de volta acontece no sábado, dia 3 de abril, no Anacleto Campanella.

O presidente do Santos não gostou do resultado do sorteio. No entanto, como assinou o regulamento antes do início da competição, Marcelo Teixeira se rendeu à decisão. “Acho que o mando dos jogos deveria ser tomado pelo critério técnico da primeira fase”, afirmou.

Nairo Ferreira, presidente do São Caetano, deixou a sede da FPF sem dar entrevistas.

Palmeiras, um time cada vez mais ofensivo

São Paulo –

Quanto mais um torneio se aproxima da decisão, mais difícil fica para um time chegar ao gol. Correta a premissa? Errada, quando se trata do Palmeiras. À medida que o campeonato paulista avança para o final, se torna mais agressiva a equipe do técnico Jair Picerni. Essa tendência, porém, corre riscos porque Adriano Chuva, contundido, deve ser desfalque no primeiro jogo das semifinais contra o Paulista, sábado, no Palestra Itália.

A princípio, o torcedor pode ter a impressão de que o Palmeiras tem errado mais nas conclusões. Mas, segundo Félix Melo, da Data Foot, empresa que faz as estatísticas das partidas para Picerni, isso é resultado da maior agressividade da equipe.

Para se ter uma idéia, na estréia da competição, contra o próprio Paulista, o Palmeiras chutou 25 vezes ao gol – 12 foram para fora, ou seja, a bola saiu sem a intervenção do goleiro ou dos zagueiros. Contra a Portuguesa Santista, domingo, o número de erros nos arremates foi maior, 16, mas a equipe chutou 32 vezes com a intenção de marcar.

Renato e Diego podem desfalcar Santos

AE

Santos – Leão confirmou ontem que não vai poupar nenhum jogador da partida contra o Guaraní, quinta-feira, no Paraguai, pela Copa Libertadores. Apesar de o Santos já estar classificado para a próxima fase do torneio e de ter a semifinal do Paulistão no domingo, o treinador quer força máxima para garantir a primeira colocação do grupo 7.

“Na pior das hipóteses, queremos o empate para classificar em primeiro sem precisar da última rodada da Libertadores”, explicou Leão, que prefere analisar um problema de cada vez. Ou seja, vai deixar para pensar na semifinal do Paulistão apenas na sexta-feira: enfrenta o São Caetano, domingo na Vila Belmiro.

Mas Leão pode ser obrigado a mexer no time. Afinal, dois titulares estão contundidos e preocupam os médicos. O meia Diego sente dores na coxa e nem treinou, enquanto o volante Renato deixou o treinamento reclamando de dores na panturrilha.

“Os dois preocupam”, admitiu Leão, que pretende definir a equipe no treino de hoje de manhã.