O Palmeiras nem precisou jogar seu melhor futebol e, diante de um Figueirense que mostrou toda sua fragilidade, aproveitou as quatro oportunidades que teve para golear por 4 a 0 e se aproximar ainda mais da volta à elite do Campeonato Brasileiro. Mesmo atuando em Londrina por conta de uma punição do STJD, o time paulista contou com o apoio do torcedor, que compareceu em peso ao Estádio do Café, para vencer com tranquilidade nesta terça-feira e abrir vantagem na ponta da Série B.

O resultado levou o Palmeiras aos 62 pontos, contra 53 da Chapecoense, vice-líder. O time paulista ainda tem 18 pontos de vantagem para o quinto colocado, Avaí, e a confirmação do acesso diante do São Caetano, dia 25 de outubro, no Pacaembu, parece um sonho cada vez mais real. O próximo adversário, no entanto, será o Guaratinguetá, sexta-feira, no segundo e último jogo da punição do STJD, novamente em Londrina. Por outro lado, o Figueirense é o décimo, com 39 pontos, e pega o São Caetano, sábado, fora de casa.

O Palmeiras entrou em campo com Marcelo Oliveira improvisado na zaga, já que Gilson Kleina não podia contar com Henrique, na seleção brasileira, Vilson, suspenso, e Tiago Alves, contundido. Para piorar, o lateral Luis Felipe, em meio a um entrave na negociação para renovar seu contrato, sequer ficou no banco.

A partida desta terça começou com um atraso de dez minutos por conta de uma queda de energia, que prejudicou o funcionamento das catracas e atrasou a entrada de torcedores. Para evitar tumultos do lado de fora do estádio, a Polícia Militar pediu ao árbitro Edivaldo Elias da Silva que apitasse o início às 19h40, justamente para que boa parte da torcida já estivesse nas arquibancadas.

A demora para o apito inicial não atrapalhou o aquecimento do Palmeiras, que começou o jogo acelerado, buscando o gol. Aos quatro minutos, Leandro fez fila e entrou na área. Douglas Marques perseguia o atacante, mas tropeçou e caiu sobre as pernas dele. O árbitro viu e marcou pênalti. Alan Kardec foi para a cobrança, deslocou o goleiro e abriu o placar.

O gol fez com que a proposta do Figueirense de se fechar e buscar os contra-ataques fosse alterada. O time catarinense teve que ir para cima e melhorou na partida. Aos 13 minutos, Rodrigo cobrou falta na área, a bola quicou no chão e tocou no travessão. A arbitragem, no entanto, marcou impedimento de Douglas Marques, que tentou o desvio na jogada.

Mesmo equilibrando a posse de bola, o Figueirense não criava oportunidades. O Palmeiras sofria com o mesmo problema e, com isso, a partida ficou sem graça, sem chances de ambos os lados. Antes do fim do primeiro tempo, o técnico Gilson Kleina ainda viu outro jogador da defesa virar problema. Wendel, lesionado, foi substituído por Ananias.

O segundo tempo começou parecendo uma repetição do primeiro e o Palmeiras conseguiu um novo pênalti logo aos três minutos. Ananias fez bela jogada pelo lado esquerdo e Douglas Marques, que já havia derrubado Leandro no início do jogo, calçou o jogador. Desta vez foi Mendieta que bateu, novamente deslocando Tiago Volpi, e ampliou.

Ananias encontrava muito espaço para trabalhar pelo lado esquerdo e seria ele o criador do segundo gol palmeirense, apenas quatro minutos depois. O jogador desceu até a linha de fundo e cruzou na cabeça de Alan Kardec, que desviou. A bola ainda tocou na zaga catarinense e enganou Tiago Volpi, que não alcançou.

Os dois gols do Palmeiras logo no início do segundo tempo minaram qualquer chance de reação do Figueirense. Nas poucas vezes que chegava perto da área adversária, o time visitante se enrolava, como aos 21 minutos, quando Maylson foi acionado por Pablo e, sozinho na área, saiu com bola. O próprio Pablo perderia a melhor oportunidade dos catarinenses, após receber sozinho dentro da área e isolar.

Com tranquilidade, o Palmeiras ainda chegaria ao quarto gol, em linda jogada de Juninho. O lateral tabelou com Alan Kardec, invadiu a área e, com um corte, derrubou o goleiro Tiago Volpi e o lateral Henrique Miranda. Então, rolou para Serginho, que só rolou para a rede.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 4 X 0 FIGUEIRENSE

PALMEIRAS – Fernando Prass; Wendel (Ananias), André Luiz, Marcelo Oliveira e Juninho; Márcio Araújo, Charles (Léo Gago), Wesley e Mendieta; Leandro (Serginho) e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

FIGUEIRENSE – Tiago Volpi; William, Douglas Marques, Bruno Pires e Henrique Miranda; Paulo Roberto (Nem), Rodrigo Souto e Rodrigo (Tinga); Éverton Santos (Maylson), Pablo e Arthur. Técnico: Vinícius Eutrópio.

GOLS – Alan Kardec (pênalti), aos quatro minutos do primeiro tempo. Mendieta (pênalti), aos três, e Alan Kardec, aos sete, e Serginho, aos 38 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Edivaldo Elias da Silva (PR).

CARTÕES AMARELOS – Charles, Wesley (Palmeiras); William, Douglas Marques, Rodrigo, Nem (Figueirense).

RENDA – R$ 543.920,00.

PÚBLICO – 15.705 pagantes (16.454 total).

LOCAL – Estádio do Café, em Londrina (PR).