O Palmeiras está a 90 minutos de cumprir com a última obrigação do ano e pensar de vez em 2014. A partir da conquista do título da Série B do Campeonato Brasileiro, que deve acontecer nesta terça-feira, contra o Paysandu, às 21h50 (de Brasília), no estádio Mangueirão, em Belém, pela 35.ª rodada, o clube começa a definir muitas coisas pendentes e tenta, de fato, sair na frente dos rivais na montagem do elenco para a próxima temporada.

A equipe precisa de um empate para ser campeão, mas a situação é tão favorável que o time pode até entrar em campo já com o caneco na mão. Basta que a Chapecoense não vença fora de casa o Paraná, às 19h30.

O fato é que depois da partida desta terça, o presidente Paulo Nobre precisa começar a tomar decisões, principalmente em relação à comissão técnica. A situação do técnico Gilson Kleina é constrangedora. Constantemente ele reclama que não foi procurado para renovar e faz campanha para ficar, manifesto que conta com o apoio dos jogadores. Henrique e Fernando Prass foram alguns dos que pediram publicamente para o treinador ficar.

Enquanto isso, a diretoria se cala e parece não saber ao certo o que deve ser feito. Alguns jogadores também já ensaiam a despedida. No total, 13 terminam o contrato e ainda têm aqueles que podem ser negociados. Uma reformulação deve acontecer, mas só deve começar após sacramentar o título.

E para não ter que comemorar um título sem vencer – como aconteceu quando empatou sem gols com o São Caetano e garantiu o acesso – e decepcionar a torcida, a equipe terá que se superar. São oito desfalques no total. Vilson e Mendieta continuam machucados e nesta segunda Wesley nem foi a campo por causa de dores após uma pancada no joelho direito e Vinícius torceu o tornozelo direito durante o treino.

Somam-se a lista de ausentes, Luis Felipe e Charles, que se recuperam de lesões, mas estão fora de forma; Valdivia defende a seleção chilena e Leandro cumpre suspensão. Com tantos problemas, Gilson Kleina terá um time desfigurado do meio para frente com Eguren, Felipe Menezes e Ananias como novidades e a manutenção do 3-5-2 para dar maior liberdade aos laterais.