Depois de duas vitórias difíceis em casa, contra Flamengo e Cruzeiro, o Palmeiras visita neste domingo o Atlético Mineiro, às 18h30, no estádio Independência, em Belo Horizonte, pela 20.ª rodada do Campeonato Brasileiro, com dois objetivos: não ser sufocado e um resultado que o aproxime do G4.

O técnico Marcelo Oliveira reclamou muito durante a semana de o time ter tido menos posse de bola do que seu adversários e também de a marcação ter sido frouxa o bastante para que Flamengo e Cruzeiro jogassem a maior parte do tempo no campo de ataque.

Contra o Atlético, que joga em um ritmo sempre muito acelerado quando está diante de sua torcida e gosta de sufocar o rival no campo de defesa, não conseguir ficar com a bola e apelar para os chutões como o Palmeiras tem feito é um perigo.

Marcelo Oliveira entende que seu time tem jogadores com técnica suficiente para trocar passes com mais precisão, o que faria a defesa respirar e diminuiria a pressão dos donos da casa – que estão pressionados por uma sequência de quatro partidas sem vencer (três pelo Brasileirão e uma pela Copa do Brasil, o empate chorado com o Figueirense no meio da semana conseguido graças a um gol de cabeça de Leonardo Silva aos 47 minutos do segundo tempo).

A questão da posse de bola é um dos fatores analisados pelo treinador palmeirense para definir a formação e o esquema tático da equipe sem o volante Arouca, que sofreu uma lesão muscular no confronto contra o Cruzeiro pela Copa do Brasil. Ele pode escalar dois volantes que marcam forte mas não passam bem (Amaral e Andrei) com dois meias (Zé Roberto e Cleiton Xavier), ou ambos com um meia e Rafael Marques, ou ainda abrir mão de um deles, provavelmente Amaral, e colocar Zé Roberto, Cleiton e Rafael Marques juntos.

“O Arouca e o Gabriel são importantes porque cumprem duas funções: marcam e saem para jogar. Agora temos alguns volantes que marcam mais e saem menos ou que jogam mais e marcam menos”, disse o treinador, que também não poderá contar com o zagueiro Victor Ramos e o meia Robinho, ambos com problemas musculares.

Marcelo Oliveira está preocupado com a condição física de Barrios e por isso pode escalar Alecsandro, que não terá condições de atuar na quarta-feira contra o Cruzeiro por ter defendido o Flamengo na Copa do Brasil.

O jogo deste domingo é visto como importante também para a partida do meio da semana, em que o Palmeiras enfrentará o Cruzeiro enfrentará no Mineirão com a vantagem poder empatar para chegar às quartas de final da Copa do Brasil por ter ganho em casa por 2 a 1. Depois da partida, a delegação continuará em Belo Horizonte para se preparar para o embate contra os cruzeirenses e até lá treinará no CT do América.