O Palmeiras recebeu neste sábado a taça de campeão da Série B, após a conquista do título antecipado ter sido assegurada na rodada passada. E, para que a festa palmeirense fosse completa, ganhou de virada do Ceará por 4 a 1, no Estádio Morenão, em Campo Grande (MS).

Mesmo com o acesso garantido desde o dia 26 de outubro, o Palmeiras manteve o ritmo na Série B. Como ainda estava em busca do título, somou duas vitórias, um empate e uma derrota nas últimas rodadas. E neste sábado, apesar de já ser o campeão, voltou a ganhar.

Com a goleada no Morenão – a diretoria palmeirense “vendeu” o mando de campo na penúltima rodada do campeonato -, o Palmeiras atingiu 79 pontos na Série B. E ainda deu força para a permanência do técnico Gilson Kleina, que discute a renovação do seu contrato.

Além de comemorar mais uma vitória, sua 24ª no campeonato, o Palmeiras complicou a vida do Ceará. O time cearense ficou parado nos 59 pontos e não depende apenas de suas próprias forças para conseguir o acesso na última rodada, no próximo sábado, contra o Joinville.

Num jogo aberto em Campo Grande, com boas chances para os dois lados, o Palmeiras assustou primeiro, com a cabeçada de Eguren aos 12 minutos, que levou perigo e foi para fora. E o Ceará respondeu aos 15, quando Lulinha chutou forte e Fernando Prass fez uma difícil defesa.

Aí, o Palmeiras desperdiçou duas grandes chances praticamente seguidas. Aos 17, Felipe Menezes teve tempo para chutar colocado, mas o goleiro foi muito bem. No rebote, Serginho vacilou e não conseguiu concluir. O mesmo Serginho voltou a falhar no minuto seguinte, quando ficou sozinho diante de Fernando Henrique e bateu mal, facilitando a defesa.

O castigo palmeirense foi rápido. Depois de desperdiçar duas ótimas chances, acabou levando um gol. Aos 19 minutos, o veterano atacante Magno Alves, já de 37 anos, se livrou com facilidade da marcação do zagueiro André Luiz e chutou forte, sem chance defesa para Fernando Prass.

O empate do Palmeiras veio aos 30 minutos. Em cobrança de falta de Felipe Menezes, Eguren se antecipou ao goleiro Fernando Henrique, que saiu mal do gol, e cabeceou para marcar. Depois disso, as duas equipes diminuíram um pouco o ritmo, sem criar novas chances perigosas.

No intervalo, Gilson Kleina trocou o atacante Serginho pelo volante Charles. E a mudança deu certo. Foi Charles quem marcou o segundo gol do Palmeiras, aproveitando cruzamento na área aos 14 minutos e cabeceando no canto, sem chance para Fernando Henrique defender.

O gol desestabilizou o Ceará. Para piorar a situação, Gustavo Silva fez pênalti em Alan Kardec. O próprio Alan Kardec fez a cobrança e, com categoria, abriu 3 a 1 aos 18 minutos. Depois disso, o controle do jogo foi totalmente do Palmeiras, diante do desespero adversário.

Ainda deu tempo para a torcida palmeirense comemorar um golaço de Leandro, que aplicou um drible desconcertante no goleiro para fazer 4 a 1 aos 34 minutos. E também vibrar com a entrada de Valdivia, que voltou da seleção chilena desgastado e ficou no banco até os 39. No fim, a festa foi completa, com o capitão Henrique levantando a taça de campeão.

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 4 X 1 CEARÁ

PALMEIRAS – Fernando Prass; Wendel (Bruno Oliveira), Henrique, André Luiz e Juninho; Eguren, Márcio Araújo e Felipe Menezes (Valdivia); Serginho (Charles), Leandro e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

CEARÁ – Fernando Henrique; Marcos (Léo Gamalho), Gustavo Silva, Potiguar e Vicente; João Marcos, Ricardinho e Thiago Humberto (Diogo Orlando); Lulinha (Diego Ivo), Magno Alves e Mota. Técnico: Sérgio Soares.

GOLS – Magno Alves, aos 19, e Eguren, aos 30 minutos do primeiro tempo; Charles, aos 14, Alan Kardec (pênalti), aos 18, e Leandro, aos 34 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Márcio Chagas da Silva (RS).

CARTÃO AMARELO – Thiago Humberto, Vicente e Ricardinho.

RENDA – R$ 444.725,00.

PÚBLICO – 7.121 pessoas.

LOCAL – Estádio Morenão, em Campo Grande (MS).