Os jogadores do Palmeiras garantem que a apatia vista diante do Libertad, na quinta-feira passada, em Assunção, ficou para trás. Na partida contra o Tigre, nesta quarta, pela Libertadores, a postura será de um time muito mais aguerrido e que está preparado para as provocações e o clima tenso que o jogo pode tomar.

Para Vilson, a equipe precisa entrar em campo tranquila, mas jogando duro. “A gente sabe que se perder algum jogador (por expulsão) vai ser muito mais difícil. Por isso, temos de ter calma e marcar forte a equipe deles. Eles vão jogar duro, mas nós vamos jogar mais duro ainda”, garantiu o zagueiro, que tem atuado improvisado como volante.

 

Vilson acredita que o Tigre vai forçar para tentar cavar a expulsão de algum jogador palmeirense. “Eles têm malandragem de bater e tentar tirar o nosso jogador do sério, então por isso temos que entrar em tranquilos em campo.”

 

Para o atacante Maikon Leite, que pode ser uma das novidades no time titular, a equipe tem de entrar em campo focada apenas em jogar e deixar de lado as provocações. “Libertadores todo mundo sabe que tem um gostinho diferente. Brasil e Argentina todo mundo sabe como é. Mas temos que procurar só a vitória, evitar confusão e sair com os três pontos.”

 

O Palmeiras realiza nesta terça-feira, a partir das 16h, o último treino antes da partida, no estádio Monumental de Victoria, palco do jogo que será disputado na quarta-feira, às 19h45.