Não é segredo para ninguém que o estilo de jogo da seleção espanhola é baseado naquele que pratica o Barcelona desde o início da já encerrada Era Guardiola. Xavi e Iniesta comandam ambos os times e ditam o ritmo das jogadas. Nos últimos anos eles ganharam a companhia de Cesc Fàbregas, que tem conquistado cada vez mais seu espaço na equipe nacional.

Para o meia catalão, a transferência para o Barcelona, há duas temporadas, ajudou ele a se tornar peça fundamental no esquema de Vicente Del Bosque na seleção. “Acho que me transferir para o Barcelona foi muito importante. Em primeiro lugar pelo sistema de jogo, mas também porque, ao jogar com os melhores, é obrigatório elevar o nível para estar à altura. Em cada treino você aprende coisas, e em cada jogo tem de exigir o máximo”, comentou Fàbregas, em entrevista ao site da Fifa.

O meia do Barcelona há dois anos dizia que não se sentia titular da seleção espanhola. Hoje isso mudou. “Neste tempo o técnico me fez sentir especial. Fui titular em praticamente toda a Eurocopa, e a partir de então venho jogando com muita frequência. Estou muito contente por isso, mas sobretudo porque creio que é o resultado do trabalho e de não entrar em desespero.”

Quanto questionado quanto à atual fase da seleção espanhola, que estreou na Copa das Confederações jogando o fino da bola contra o Uruguai, Fàbregas garantiu que a equipe ainda pode jogar melhor. Para ele, a equipe é só uma das que estão credenciadas a ficar com o título. “Não diria que somos favoritos. Tentamos jogar os nossos jogos, o nosso torneio. Podemos ganhar, sempre e quando fazemos o que sabemos fazer, que é tocar a bola e controlar o ritmo do jogo. Quando isso acontece, já mostramos que é difícil nos derrotar.”