Uma virada difícil, mas não impossível. Foi assim que os jogadores do Palmeiras analisaram as chances de o time ir para a final do Campeonato Paulista após a derrota inesperada por 3 a 0 para a Ponte Preta, neste domingo, em Campinas (SP). A equipe alviverde, que chegou à semifinal com a melhor campanha do Estadual, precisa vencer por 4 a 0 no estádio Allianz Parque, em São Paulo, no sábado, para garantir um lugar na decisão.

“Hoje (domingo) não fomos bem, mas não somos imbatível. 3 a 0 é um placar amplo, mas não existe impossível no futebol. Vamos ter de entrar em campo concentrados”, afirmou o volante Felipe Melo, em entrevista ainda no gramado do estádio Moisés Lucarelli, ao canal de TV a cabo SporTV.

Ele já havia criticado a postura do Palmeiras no intervalo e reconheceu o mérito da equipe de Campinas.

“A Ponte Preta entrou ligada em campo. E nós não, não fizemos aquilo que tínhamos combinado. Mas é nessa hora que vemos os grandes times e os grandes guerreiros. Vamos correr dobro para reverter esse placar”.

Essa é a mesma opinião do atacante Dudu, que teve poucas chances na partida. “Vamos reverter isso, temos uma semana para trabalhar”, afirmou. Ele se refere aos seis dias de preparação entre a derrota em Campinas e jogo da volta no Allianz Parque. Nesta semana, não há partida pela Copa Libertadores como aconteceu na quarta-feira passada, quando o Palmeiras venceu um jogo complicado diante do Peñarol por 3 a 2. Esse resultado só foi alcançado nos acréscimos, aos 54 minutos do segundo tempo.

A maneira como o time perdeu foi criticada pelo técnico Eduardo Baptista, que comparou a postura do Palmeiras da última quarta-feira com a deste domingo. “Ficamos sem reação em campo. Não foi o Palmeiras do último jogo. Aquele time não veio a Campinas”, reconheceu o treinador após a derrota.