O médico da seleção da Itália, Enrico Castelacci, falou com a imprensa na tarde deste domingo, em Mangaratiba (RJ), pouco depois de a delegação ter chegado de Manaus, e não quis cravar quando o goleiro Buffon e o lateral De Sciglio poderão ser escalados pelo técnico Cesare Prandelli. Mas está otimista com relação aos dois.

O caso que mais preocupava era o de Buffon, que torceu o tornozelo esquerdo no último treino antes da partida contra a Inglaterra. O capitão chegou a pensar que teria de voltar para casa sem entrar em campo no seu quinto Mundial, mas agora está muito confiante e fala em jogar contra a Costa Rica, nesta sexta-feira, no Recife. Para o médico, a animação de Buffon é normal. “Ele saiu de um momento de grande tensão e agora está tranquilo porque sabe que a lesão é menos grave do que imaginava”.

Castelacci disse que o goleiro deverá ser submetido a exames nesta segunda para que se tenha mais informações sobre a lesão. De qualquer modo, tem certeza de que Buffon jogará a Copa. “Talvez ele possa jogar contra a Costa Rica. Se não puder, acredito que estará pronto contra o Uruguai”. A boa atuação de Sirigu contra a Inglaterra deixa a comissão técnica à vontade para não apressar a volta do titular.

Uma das irmãs do goleiro, Veronica, disse a uma rádio que espera ver Buffon em campo na próxima partida. “Vi que ele está bem pelo pique que deu para comemorar o gol de Marchisio”.

Com relação a De Sciglio, que na última quinta sofreu uma contratura muscular na coxa esquerda, a expectativa é de que volte a treinar com bola esta semana. Se ele puder jogar contra a Costa Rica, Chiellini voltará para sua posição na zaga e Paletta irá para o banco de reservas.

O médico também falou sobre as condições que a equipe vai enfrentar no Recife (nesta sexta contra a Costa Rica) e Natal (no dia 24 contra o Uruguai) – ambas as partidas começarão às 13 horas. Ele disse ter achado estranho o árbitro não ter parado o jogo em Manaus para que os jogadores pudessem se hidratar, já que fazia muito calor. E espera que isso não se repita nos dois próximos jogos. “Tomara que tenhamos parada técnica. Estamos particularmente preocupado com a partida de Recife porque o horário e as condições climáticas são assustadores”.

No ano passado, a Itália jogou na Arena Pernambuco contra o Japão, pela Copa das Confederações, e os jogadores saíram de campo extenuados (vários tiveram cãibras) por causa do calor e da umidade. E a partida começou às 19 horas…