Até o presidente concordou. ?Foi com inteira justiça?, disse José Carlos de Miranda, referindo-se à vitória do Paranavaí sobre o Paraná na primeira partida decisiva do Estadual 2007. Jogadores e o técnico Zetti tentaram explicar a atuação apática e sem inspiração no noroeste do Estado.

Um dos erros salientados no vestiário paranista era a grande distância entre os setores, o que dificultou a criação de jogadas e fez dos lançamentos longos uma ineficiente alternativa durante o jogo. ?Precisamos nos ajudar um pouco mais para não formar estes espaços?, falou o atacante Josiel, que completou cinco semanas sem fazer gol e ontem perdeu a oportunidade mais clara da equipe no jogo. ?Esquecemos de jogar com inteligência?, criticou o volante Xaves.

Em comum no discurso dos jogadores era a confiança em reverter o resultado na finalíssima, domingo, às 16h, na Vila Capanema. ?São 90 minutos em casa para ganharmos este título. Precisamos ter calma?, recomendou o meia Gerson.

Já o técnico Zetti acha que as ausências de Daniel Marques, Neguete, Beto e Vinícius Pacheco prejudicaram o time. ?Ainda perdi o Alex no começo do jogo e ficamos sem uma jogada forte pela linha de fundo. Isso (os desfalques) interferiu no entrosamento do time, que teve a posse de bola prejudicada?, disse o técnico, que sem muita ênfase questionou a marcação da falta que originou o gol do ACP.

Para o treinador, os dois times se respeitaram muito. ?Ambos jogaram bem fechados e a bola parada decidiu?, falou, lembrando que o Tricolor atacou muito pouco no segundo tempo. ?Mas o Paranavaí tem marcação forte e segurou no momento certo a jogada do Dinelson. Eles também têm seu mérito?, disse o treinador.

Antes da finalíssima, o Tricolor encara outro grande desafio – a partida mais importante de seus 17 anos de história, diante do Libertad, quinta, às 19h, na Vila Capanema, pelas oitavas-de-final da Libertadores. Até amanhã, o clube poderá trocar três jogadores na lista de 25 inscritos na competição.

O atacante Vinícius Pacheco e o lateral Alex, com lesões musculares, e o zagueiro Neguete, sem contrato, são possíveis ausências.

Vantagem

Clewerson Bregenski

Logo após o árbitro Antônio Denival de Moraes encerrar a partida, os jogadores do Paranavaí se abraçaram ainda dentro do campo. Tales, autor do gol da vitória, disse que a equipe fez um bom jogo e que a vantagem é muito importante para o jogo de volta.

O zagueiro Rodrigo DeLazzari também enalteceu o espírito da equipe e disse que o Paranavaí vai a Curitiba para jogar com o regulamento embaixo do braço, para tornar-se campeão. O goleiro Vanderlei acredita que o time fez o dever de casa e tem tudo para ser campeão. ?Nossa equipe foi determinada e soube marcar bem. Não deu chances para o Paraná?, explicou.