Foto: Arquivo/Tribuna
Miranda aposta na manutenção
do acordo para alcançar títulos.

Parceria ampliada em 2006. O acerto ocorreu num almoço, ontem, entre o presidente do Paraná Clube José Carlos de Miranda e os empresários Luiz Alberto Martins de Oliveira Filho e Rogério Bozzi Filho, proprietários da L.A. Sports.

A empresa está deixando as categorias de base do clube, mas mantém vínculo com o futebol profissional do Tricolor. ?Eles são nossos aliados. Nos ajudaram num momento difícil e continuarão colaborando para que a gente consiga atingir nossos objetivos?, afirmou Miranda.

Com o surgimento do fundo de investimentos formado por conselheiros do Paraná, circularam boatos de um possível afastamento da L.A. Sports. ?Não sei de onde surgiu essa situação. O Paraná está aberto a parcerias. É uma necessidade para que consigamos montar equipes competitivas como essa que formamos para este Brasileiro?, lembrou o presidente paranista. ?Temos vários jogadores no Paraná e nossa intenção é mantê-los no clube?, disse Luiz Alberto.

?E, se um sair, outros três serão contratados?.

O empresário disse já estar em contato com jogadores que se destacaram na Séries A e B do Brasileiro. ?O objetivo é ampliar os horizontes da empresa e creio que o Paraná só tem a ganhar com isso?, frisou. Luiz Alberto acredita que neste fim de temporada fechará um grande negócio para o exterior – possivelmente do artilheiro Borges – e assim a L.A. Sports terá recursos para reinvestir na aquisição de novos valores.

A empresa detém, hoje, os direitos federativos de jogadores como Aderaldo, Parral, Maicosuel, Borges, Thiago Neves, João Paulo, Flávio Alex e João Vitor. Isso sem contar com os juniores Digão, Alex, Xaves, Bruno e Vandinho. Em relação às categorias de base, Paraná e L.A. também chegaram a um acordo. O contrato terminano mês que vem e não será renovado. ?Fizemos um grande investimento nas últimas três temporadas. Agora, creio que o clube está pronto para seguir em frente com as próprias pernas?, disse Luiz Alberto.

O presidente Miranda confirmou que o clube irá gerir sozinho esta área, mas deixou claro que as portas do Paraná estarão abertas sempre que a L.A. Sports tiver um bom jogador, não só para o time profissional, mas também para os juniores. ?Na essência, segue tudo como antes. Apenas a questão da alimentação dos garotos, que agora será responsabilidade nossa?. Ainda no fim desta temporada, a L.A. terá direito a escolher mais três jogadores da base, ficando com 50% dos direitos econômicos destes atletas.

Beto volta contra a Raposa

A volta do volante Beto será a única novidade no Paraná Clube para o último jogo em casa neste Brasileiro, domingo, frente ao Cruzeiro. Após cumprir suspensão, ele substitui o zagueiro Aderaldo, expulso contra o Flamengo. Assim, o técnico Luiz Carlos Barbieri volta a armar o time no 4-4-2, mas tendo em Pierre o líbero. Essa estratégia deu certo no confronto com o Santos.

Com vários desfalques – além de Aderaldo, o Paraná não conta com Marcos, Neguete e André Dias, lesionados -, Luiz Carlos Barbieri tenta montar um time competitivo para garantir a vitória e a classificação matemática para a Copa Sul-Americana. De quebra, superaria também o Cruzeiro na tabela de classificação. ?Vamos recuperar o foco. Nos desconcentramos frente ao Flamengo, mas isso não se repetirá?, disse o volante Mário César.

O time treinou ontem pela manhã, contra os juniores, com a seguinte formação: Flávio; Neto, Daniel Marques, João Paulo e Edinho; Pierre, Beto, Mário César e Thiago Neves; Sandro e Borges. ?Vamos buscar uma despedida com vitória, para fechar com um resultado expressivo a nossa boa campanha jogando no Pinheirão?, lembrou o artilheiro Borges. Foram apenas três derrotas, em quinze jogos disputados.

Barbieri sabe que é importante fechar com boas atuações a temporada. ?No futebol, a última impressão é a que fica. Já oscilamos demais neste returno?, reconhece o treinador. Sob o comando de Barbieri, o Paraná disputou 17 jogos, com seis vitórias, dois empates e nove derrotas. Na oitava colocação, o Tricolor ainda acredita que pode fechar o ano como a melhor equipe do Estado no Brasileiro, superando o Atlético – que hoje tem o mesmo número de pontos, mas uma vitória a mais – nas duas rodadas que restam.