Apesar de a diretoria não confirmar oficialmente, o Paraná Clube já tem mais dois jogadores para a zaga. Ontem à noite foi fechada a negociação com a dupla de zaga campeã do interior paulista: Cris, 29 anos, e Paulo Miranda, 22, do Oeste de Itápolis.

Os dois já estão em Curitiba e, se não houver nenhum entrave, estarão à disposição do técnico Ricardo Pinto para a estreia na competição – dia 21 de maio, frente ao Ituiutaba, no interior mineiro.

A transação com os zagueiros vinha se arrastando por mais de uma semana, mas dependia do fim do torneio do interior. No sábado, o Oeste goleou a Ponte Preta (3 x 0) e ficou com o título.

Ao longo do Paulistão, o time de Itápolis apresentou uma das defesas mais seguras do interior: sofreu 21 gols em 23 jogos, considerando etapa classificatória, quartas de final e torneio do interior.

Cris, por exemplo, se encaixa no perfil desejado pelo técnico Ricardo Pinto: jogador experiente e de boa estatura, um líder natural. Já Paulo Miranda volta ao futebol paranaense, onde iniciou carreira na base do Iraty.

Com Cris e Paulo Miranda, já são três reforços para o setor defensivo. Anteriormente, o Paraná já havia fechado com Amarildo, do São Bernardo. Os dois jogadores do Oeste foram indicações de Durval Lara Ribeiro, que está atuando como “consultor” do presidente Aramis Tissot em negociações envolvendo o mercado paulista.

Além dos zagueiros, Vavá também indicou o meio-campo Oliveira, do Ituano, com quem o Tricolor vai amarrando uma parceria mais ampla. Oliveira, 23 anos, se apresentou na Vila Capanema ontem cedo.

O jogador atuou em 16 dos 19 jogos do Paulistão, marcando dois gols. Oliveira é sul-matogrossense, mas construiu sua carreira em Curitiba. Entre 2005 e 2010 atuou pelo J. Malucelli – atual Corinthians Paranaense. “Fiquei muito feliz com essa oportunidade de colocá-lo num clube do porte do Paraná”, disse Marcelo Lipatin, representante legal do jogador.

“Estou gerenciando a carreira dele desde que deixou o Corinthians-PR. Ele foi muito bem no Ituano, quando experimentou uma nova realidade”, destacou Lipatin. “Joguei com ele no J. Malucelli e sei do seu potencial. Vejo como uma troca mútua: o Oliveira vai ajudar o Paraná e terá a chance de mostrar sua qualidade num clube de muita projeção, numa vitrine como a Série B”, ressaltou.