O Paraná Clube fechou o período pré-Copa das Confederações na 7.ª colocação. O técnico Dado Cavalcanti imaginava uma posição de maior destaque, mas as derrotas para Oeste e Paysandu não foram bem digeridas. Há, porém, um componente positivo no fato de o Tricolor não ter ingressado, neste momento, no G4. Longe dos holofotes, o clube espera passar por este período de recesso livre do assédio de outras equipes – principalmente os da Série A.

Na prática, como ninguém ainda completou sete jogos, não há restrição para transferências até mesmo para a própria Série B. O Paraná, no momento, está preparado apenas para a chegada de novos valores. “Não está nos nossos planos a saída de ninguém. Pelo que estamos conversando com o Dado Cavalcanti, a ideia é qualificar o grupo com mais uma ou duas contratações”, avisou o gerente de futebol Alex Brasil, já mantendo alguns contatos com atletas e clubes do futebol brasileiro.

Dado já antecipou que o Paraná não terá mudanças “drásticas” ao longo da intertemporada. Apesar da expectativa em relação ao ataque, as atenções da comissão técnica e do departamento de futebol estão voltadas para o setor defensivo. Por paradoxal que possa parecer -afinal o Tricolor tem uma das melhores defesas da Série B -, a busca por um zagueiro é prioridade. Isso se justifica mais pela quantidade do que pela qualidade. Afinal, o grupo, hoje, conta apenas com Anderson, Brinner, Alex Alves e João Antônio. Alex Bruno, que seria uma quinta opção, ainda se recupera de uma cirurgia no tornozelo.

Além de um zagueiro, o Tricolor também deve trazer outro jogador de meio-campo. Alex Brasil só não foi enfático em relação à característica desse jogador. O clube conta, hoje, com três volantes de origem (Cambará, Ricardo Conceição e Gilson) além de Édson Sitta, que mesmo sendo lateral foi destaque atuando “por dentro” e ganhou a posição, nas palavras do próprio Dado. “Ele deu uma resposta muito boa e confirmou seu espaço”, disse.

Pela avaliação de Dado e pelas palavras de Alex Brasil, não seria surpresa a contratação de um meia, mas com características mais ofensivas. Alex Brasil pretende definir essas questões até semana que vem, entregando o elenco pronto para a viagem a Marechal Cândido Rondon, no oeste paranaense. O Tricolor deve seguir no dia 25 para o interior, onde realizará a reta final de preparação para a retomada do Brasileiro, no dia 5 de julho, quando irá enfrentar o América-MG, em Belo Horizonte.