Sob estado de alerta após dois tropeços seguidos, o Paraná Clube volta a campo na terça-feira, num jogo que promete ser duríssimo. Não bastasse a condição do CRB, que luta desesperadamente para se manter na Série B, o Tricolor tem contra si as constantes oscilações e o péssimo desempenho na condição de visitante. Ingredientes que estarão presentes no duelo das 21h50, no Rei Pelé, em Maceió.

O desafio do time de Toninho Cecílio é recuperar o “espírito guerreiro” visto no jogo contra o Ceará. “Não podemos ficar adiando essa vitória que ainda falta para a gente se afastar de vez da zona do rebaixamento”, diz o atacante Luisinho. Para ele, a ansiedade por esta vitória que ainda falta não está prejudicando o grupo. “Acho que em alguns momentos estamos é sentindo o desgaste de uma temporada complicada”, lembra.

Para o jogador, o fato de o Paraná ter disputado muitos jogos em sequência, em virtude da participação na Segundona Paranaense, pode estar atrapalhando o desempenho de alguns atletas. “Mas temos que superar isso. O ideal seria fechar o ano com quatro vitórias, aí a gente esquece tudo o que passou e as dificuldades que tivemos”, resume. O problema é esperar do grupo uma regularidade que não se viu até aqui. O Paraná, na Série B, só emplacou três vitórias em sequência. E isso ocorreu há tempos, entre as rodadas 5 e 7, ainda em junho.

Segundo o volante Ricardo Conceição, para que isso se reverta é necessário que haja uma mudança de atitude dos jogadores. “O que não pode é um jogador ser nota dez num jogo e no outro ser dois. Fizemos um jogo muito bom contra o Ceará, onde sustentamos um placar mesmo depois de duas expulsões. Só que, depois, o time caiu demais contra Avaí e ABC. No último jogo, parecia que já estávamos de férias”, cutuca.

Mesmo asssim, ele acredita que haverá uma alteração drástica na equipe já para o jogo contra o CRB. Pelo menos por aquilo que ele conhece de Toninho Cecílio. “A cobrança pelo desempenho ruim frente ao ABC será forte. Acho que teremos novidades para o próximo jogo”, aposta.