L’viv, Ucrânia – Finalmente chegou o dia do jogo. Depois de seis dias de viagens atribuladas, encontros oficiais e treinos, o Paraná entra em campo pela primeira vez em território ucraniano. A partida de hoje, às 18h (meio-dia no Brasil), contra o Haletchena, no estádio municipal de Tchernovohrad, marca a abertura da segunda excursão tricolor para fora do Brasil – a primeira aconteceu em 94, na Costa Rica.

Além de ser um espaço para a inclusão da equipe no mercado internacional, e inevitável intercâmbio esportivo, os três jogos na Ucrânia servem para que o técnico Caio Júnior realize importantes observações, já pensando no campeonato brasileiro.

Por isso o treinador não dispensou treinos táticos até na véspera do jogo. Ontem Caio comandou o último treino antes da partida, visando acertar o posicionamento de defesa e meio-campo, setores que perderam uma peça cada após o supercampeonato paranaense – Ageu, que foi para a Portuguesa, e Marquinhos, que acertou com o Flamengo.

De resto, a base do vice-campeonato foi mantida, e deverá ser a força do time na excursão. “É muito importante manter uma base, principalmente antes de um campeonato brasileiro”, resume Caio Júnior. Assim, o que foi visto nos últimos tempos – uma equipe de forte marcação e saídas rápidas para o ataque – vai também ser apresentada aos ucranianos, sequiosos em ver o ‘melhor futebol do mundo’, como eles mesmo apontam o nosso futebol. “Nós viemos aqui para isso, representar bem o clube e o futebol brasileiro”, concorda o volante Hélcio. “Eles têm uma expectativa muito grande em ver uma equipe brasileira por aqui”, conta o superintendente Ocimar Bolicenho. Isso ficou claro até nos encontros oficiais, como com o governador Miron Iánkiv, que se definiu como um admirador do futebol brasileiro.

Ao mesmo tempo que tenta honrar o nome do nosso futebol, o Paraná não vai deixar de aproveitar o caráter amistoso da excursão para realizar algumas experiências, a começar pelo gol. No jogo de hoje, Caio Júnior decidiu dar meio-tempo para Neneca jogar, com Marcos atuando na segunda etapa – e cada um terá mais uma partida para mostrar serviço. Outra modificação a ser testada é a entrada de Márcio ao lado de Maurílio e Adriano Chuva, reforçando o ataque.

A partida desta tarde também marca a estréia do meio-campista Ronaldo, que chegou cinco dias antes da viagem para a Ucrânia já com status de titular. A entrada do ex-botafoguense deixou o meio-campo paranista mais compacto, sem no entanto perder a ofensividade. “O Ronaldo é um jogador que marca bem e sabe jogar. Ele chega muito bem ao ataque, e essas características dele podem ser fundamentais para a equipe”, explica Caio Júnior, que espera com isso atacar e defender com mais jogadores do que no supercampeonato paranaense.

Além de enfrentar o fuso horário (“Tem dias em que eu não consigo dormir”, revela Maurílio), o Paraná encara hoje também o total desconhecimento sobre o adversário e o campo do jogo. A formação tricolor terá Neneca; Luís Paulo, André, Édson e Fabinho; Hélcio, César Romero, Ronaldo e Alexandre; Maurílio e Adriano Chuva.