O Paraná Clube entra em campo hoje – às 16h, em São Januário – um tanto quanto "desfigurado". Ao todo, são nove desfalques, sendo que seis titulares não enfrentam o Vasco da Gama. O ambiente poderia ser desolador, não fosse o fato do tricolor estar fechando a sua melhor participação em um campeonato brasileiro. Um resultado positivo pode dar ao time de Luiz Carlos Barbieri a sexta colocação e o "título" de melhor equipe paranaense na temporada. "E, com todas as dificuldades, vamos em busca deste objetivo", frisou o treinador.

Além do atacante André Dias e dos zagueiros Marcos e Neguete, há tempos afastados por lesão, o Paraná não terá neste "bota-fora" os seguintes jogadores: Aderaldo, Edinho e Borges (lesionados), Mário César e Maicosuel (suspensos) e Thiago Neves (afastado por indisciplina). A saída foi fortalecer o meio-de-campo, que mais uma vez terá três volantes, sendo que Pierre e Rafael Muçamba se revezarão na função de líbero. Nas outras posições, Barbieri procurou apenas substituir peças para não perder o sentido coletivo que norteou a campanha do Tricolor neste Brasileirão.

Se do outro lado, o Vasco tenta fazer de Romário o artilheiro do ano, o Paraná quer fechar a competição com a defesa menos vazada. Com 48 gols sofridos (média de 1,17 gol/jogo), o Paraná divide a posição com o Internacional. "Acho que seria um prêmio para a regularidade no time. O Flávio e os zagueiros estão de parabéns e só a mídia nacional não reconhece isso. Mas, os números não deixam dúvidas", disse Barbieri, em defesa do Pantera e dos zagueiros Daniel Marques e Marcos, "esquecidos" na premiação da CBF aos melhores do ano.

Diante dos muitos desfalques, Daniel Marques e João Paulo terão a missão de garantir a eficiência do "paredão", no Rio de Janeiro. A dupla de zaga terá a constante proteção de Pierre, Muçamba e Beto, o trio de volantes. Só que para fechar o ano com vitória, o Paraná precisa criar. E essa função ficou para o quase estreante Flávio Alex.

O meia, trazido por Lori Sandri, só foi titular em dois jogos e não brilhou. "Fui pego de surpresa, mas é a minha chance com o Barbieri. Espero deixar uma boa impressão, já pensando no ano que vem", disse o jogador, que tem contrato com o clube até 2008. Lá na frente, Fernando Gaúcho tenta substituir à altura o artilheiro Borges, negociado com o futebol japonês.

Tudo por Romário

Rio – O time do Vasco, mais do que nunca, atuará em prol de Romário nesta última rodada do campeonato brasileiro. A ordem é procurá-lo a todo momento e, se possível, deixá-lo em ótima condição para finalizar. Afinal, o jogador de 39 anos espera terminar a temporada em alta. Ou seja, com o troféu de artilheiro da competição.

Romário já tem 20 gols, um a menos que Róbson, do Paysandu, e só tem mais uma chance para ultrapassá-lo. Será no jogo de hoje, contra o Paraná Clube. Por isso mesmo, ele tem dito a amigos que a partida tem pinta de "decisão".

Em São Januário, por sinal, parece que todos acreditam mais na possibilidade de Romário sagrar-se artilheiro do campeonato do que o Vasco conseguir uma vaga na Copa Sul-Americana.

CAMPEONAOTO BRASILEIRO
ÚLTIMA RODADA
SÚMULA
Local: São Januário (Rio de Janeiro).
Horário: 16h.
Árbitro: Giulliano Bozzano (DF).
Assistentes: Renato Miguel Vieira (DF) e Eremilson Xavier Macedo (DF).

VASCO x PARANÁ

Vasco
Roberto, Wagner Diniz, Fábio Braz, Luciano e Diego; Yves, Amaral, Abedi e Morais; Róbson Luiz e Romário. Técnico: Renato Gaúcho.

Paraná
Flávio; Neto, Daniel Marques, João Paulo e Vicente; Pierre, Rafael Muçamba, Beto e Flávio Alex; Sandro e Fernando Gaúcho. Técnico: Luiz Carlos Barbieri.