Foto: Bruno Miani/ Vipcomm

Aloísio marcou duas vezes e foi um dos destaques do São Paulo na goleada de ontem.

É certo que a lógica se confirmou. Mas não precisava ser assim. O São Paulo massacrou o Paraná Clube, e no estilo ?três vira, seis acaba?, venceu por 6×0, ontem, no Morumbi.

E ratificou seu domínio no campeonato brasileiro, chegando aos 50 pontos. O tricolor teve um revés muito amargo – a pior derrota em muito tempo -, resultado que deixa de novo a equipe perto das últimas colocações.

Ninguém negava que seria um confronto complicadíssimo. Afinal, o São Paulo passara o mês de agosto sem ser vazado – e Rogério Ceni precisava de 66 minutos para quebrar o recorde de tempo sem levar gols na história do tricolor paulista (e ele quebrou com sobras o recorde de Valdir Peres). O Morumbi recebia bom público, e tudo conspirava a favor do líder do campeonato brasileiro. Mas o Paraná não queria ser apenas um coadjuvante da festa do São Paulo.

Só que, para conseguir isso, seria necessário muito. E, hoje, ninguém consegue esse ?muito? no Morumbi contra uma equipe que chega no domingo com onze pontos de vantagem para o vice-líder Cruzeiro (que tem dois jogos a menos).

O Paraná foi acuado pelo São Paulo. Não existe no Brasil – e há poucos no mundo -um time que marque de maneira tão eficiente quanto o tricolor. Quando Flávio pegava a bola, Dagoberto e Aloísio já pressionavam Daniel Marques e Neguete. Restava sair com Toninho ou chutar para longe.

Quem via o jogo tinha uma sensação terrível – quando o São Paulo acertasse o pé, marcaria os gols. E eles vieram num período de dez minutos. Vinte e sete: Aloísio aproveita a falha de Toninho e chuta de longe, no cantinho – 1×0. Trinta e três: tabela na entrada da área e Dagoberto toca com estilo – 2×0. Trinta e sete: Souza dribla todo mundo e faz um golaço – 3×0. Jogo encerrado, e faltavam ainda 53 minutos (além dos acréscimos) para a partida ser realmente finalizada.

O tricolor voltou para a segunda etapa com Batista e Goiano – saíram Toninho e Adriano. Mas o problema principal continuava, pois não havia jeito de arrumar espaço para a criação de jogadas. Como o São Paulo tinha mais posse de bola, era mais plausível esperar o quarto gol dos donos da casa.

E ele veio aos 17 minutos, após uma falha clamorosa de Élvis, que abriu caminho para a arrancada de Souza, que apenas rolou para Dagoberto tocar na saída de Flávio e ampliar a vantagem do líder do Brasileirão. Cinco minutos mais tarde, Aloísio ganhou na força de Batista e fez o quinto. E, para fechar, Leandro aproveitou a bobeada de Alex e converteu o sexto. E é melhor a gente parar por aqui.

CAMPEONATO BRASILEIRO

2º turno – 23ª rodada

SÃO PAULO 6×0 PARANÁ CLUBE

São Paulo

Rogério Ceni; Breno, André Dias e Miranda (Júnior); Souza, Hernanes, Jorge Wagner, Leandro e Richarlyson; Dagoberto (Hugo) e Aloísio (Borges).

Técnico: Muricy Ramalho

Paraná

Flávio; Daniel Marques, Toninho (Batista) e Neguete; Alex, Beto, Adriano (Goiano), Éverton e Elvis (Araújo); Vandinho e Josiel.

Técnico: Lori Sandri

Súmula

Local: Morumbi (São Paulo-SP)

Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)

Assistentes: Aristeu Leonardo Tavares (FIFA-RJ) e Guilherme Dias Camilo (MG)

Gols: Aloísio 27 e Dagoberto 33 e Souza 37 do 1º; Dagoberto 17, Aloísio 22 e Leandro 33 do 2º

Cartões amarelos: Elvis, Adriano, Neguete (PR)

Cartão vermelho: Hugo

Renda: R$ 273.590,00

Público: 36.568 (36.496 pagantes)