O Paraná Clube já está em Itu, dando início à sua intertemporada para a disputa do Brasileirão. O grupo ainda não está completo, mas o técnico Paulo Campos tem 23 jogadores à sua disposição. A mudança de ares foi uma solicitação da comissão técnica, atendida pela diretoria. A escolha pelo interior paulista se deve à maior facilidade para a realização de jogos-treinos e amistosos. O Tricolor está inaugurando o Itu Trainning Center. O complexo esportivo – com área de 140 mil m2 – está sendo construído há dois anos e tem como pretensão ser o melhor CT particular de São Paulo e um dos maiores do Brasil.

O diretor de futebol do Paraná, Durval Lara Ribeiro, fez a escolha após visitar o local, que conta com 16 apartamentos de luxo, vestiários, restaurante, sala para home theater e, o principal, dois campos de ótima qualidade. “Os campos têm as dimensões do Morumbi e do Pacaembu. Assim, o clube pode trabalhar em um gramado de acordo com as dimensões do campo onde jogará”, explica o empresário José Carlos “Kioshi” Otonari, dono do empreendimento. Pela sua projeção, dentro de um ano o Itu Trainning Center estará completo, com sauna, piscina aquecida, sala de imprensa e mais 15 apartamentos.

Kioshi foi um dos sócios-fundadores do Ituano, em 1999, em parceria com Oliveira Júnior. Mas, já não possui vínculo com o clube local. A escolha do Paraná pelo Itu Trainning Center nada tem a ver com o relacionamento que a diretoria paranista tinha no ano passado com o empresário que comanda o Ituano. “Tínhamos até interesse no retorno do volante Pierre, mas a transação não evoluiu da forma como esperávamos e hoje temos outros parceiros que estão investindo no Paraná”, lembrou Durval Ribeiro. Todos os treinamentos do Paraná serão desenvolvidos no complexo esportivo. Para os trabalhos de musculação (já que esta área do CT ainda não está pronta) o Tricolor irá utilizar as dependências do Ituano.

Paulo Campos já antecipou que dará ênfase aos treinos com bola, pois só tem dez dias para ajustar o time que estréia no campeonato brasileiro frente ao Santos, no dia 21 de abril. A intertemporada termina no dia 17 e até lá serão realizados dois jogos-treinos e um amistoso. O primeiro teste de campo do “novo” Paraná será no sábado, às 10h, frente à Portuguesa de Desportos, no próprio CT. Também no Itu Trainning Center, no dia 14, o Paraná enfrenta o Mogi Mirim. O único amistoso antes do Nacional será no dia 17, às 16h, no Estádio Novelli Júnior, frente ao Ituano. Os três clubes paulistas estão na Série B do campeonato brasileiro.

Doze novidades e ainda vem mais

Doze “caras novas” já compõem o elenco tricolor. A diretoria, porém, ainda negocia com mais cinco jogadores. Um deles, o zagueiro Gélson Baresi. O jogador disputou o paranaense e tem contrato até o fim do ano. Porém, estuda-se uma composição com o atleta, que tinha um reajuste programado e que elevaria a folha do clube além do previsto. “Temos uma conversa amanhã, com seu procurador, mas acho que vamos acertar a questão”, disse o diretor de futebol Durval Lara Ribeiro.

Definindo a situação do zagueiro, o Tricolor volta atenções às outras carências. Há uma transação em estágio avançado com um atacante do futebol paulista. Já houve acordo com o procurador do atleta e há pequeno ajuste a ser definido com o seu clube de origem, que é mantido sob sigilo. Este “silêncio” dos dirigentes visa não atrapalhar, já que todos os reforços pretendidos estão também na mira de outros clubes da primeira divisão.

O Paraná não esconde que precisa ainda de dois meias de criação e um lateral-direito. “Assim, teremos um grupo de 28 jogadores, com dois atletas de qualidade para cada posição e mais algumas opções, pois a competição é longa e de alto nível”, disse Vavá. O atacante Chokito, que chegou a Curitiba na terça, viajou com a delegação ontem pela manhã. Artilheiro do Taubaté (7 gols) na A-2 do Paulista, ele chegou prometendo gols. Sua especialidade são as cobranças de falta.