O jogo de hoje – às 16h10, no Durival Britto – pode ser um divisor de águas para o Paraná Clube. De líder no início da Série B o time despencou para uma área de risco.

Um resultado positivo frente ao Brasiliense representaria o fim desta agonia, que vem se repetindo há três temporadas. O técnico Roberto Cavalo quer mobilização total para repetir, em casa, o que o Tricolor fez no interior paulista, há quatro dias.

“Se jogamos bem lá, não podemos vacilar em casa. Vencemos com raça e esse é ingrediente que não pode faltar diante da nossa torcida”, disse o treinador paranista.

Roberto Cavalo alerta para os riscos de se enfrentar um time desesperado e experiente como o Brasiliense. “Com equipes assim, é perigoso sair atrás no marcador. Aí entra em campo a posse de bola, a catimba, que eles têm de sobra”, ressaltou. “Em casa, precisamos do resultado e temos que impor um ritmo forte”.

Roberto Cavalo só está trabalhando no Paraná há doze dias. Mesmo assim, demonstra confiança no grupo, que dá sinais de reação. “A alegria voltou ao dia-a-dia. Vejo um elenco altamente profissional e que está disposto a finalizar a temporada muito bem. O objetivo é buscar a melhor colocação possível”, disse o técnico, que já traça planos para 2011, ao lado da diretoria. “Sinto que há boa vontade por parte de todos. É preciso se organizar para começar bem a próxima temporada”.

Mesmo mantendo uma visão mais ampla sobre o clube em si, Cavalo não esconde preocupação com o presente. A vitória sobre o Guaratinguetá trouxe alívio momentâneo, mas não pôs fim aos riscos de rebaixamento.

“Quero chegar o quanto antes aos 46 pontos. Não dá pra ficar esperando as últimas rodadas”, avisou Cavalo. Hoje, segundo o site Chance de Gol, o Tricolor tem um risco de 4,7%. Bem diferente do Brasiliense, forte candidato à degola, com 91%.

Para atingir o “número da salvação”, o Paraná persegue três vitórias e um empate, tendo pela frente, a contar de hoje, dez jogos. Tudo, porém, passa por um resultado positivo diante do Brasiliense. Até porque, na sequência, o Tricolor faz dois jogos fora de casa, contra Náutico e Coritiba.

Time

Para encarar o desafio de “despachar” o time candango, Cavalo decidiu apostar na manutenção da equipe que atuou na última jornada. A única novidade será a volta de Murilo à ala-direita.

“O Paulo Henrique foi bem. Mas, o Murilo só ficou fora por estar suspenso, vem num ritmo melhor de competição e por isso retorna”, justificou. “Vencemos o último jogo, mas temos que melhorar. Gostei da atitude de time, mas é possível jogar mais”, cobrou o técnico paranista.