Mobilização total. O técnico Cuca não deu folga aos jogadores do Paraná Clube. Cobrou atenção máxima para o jogo desta tarde – às 16 horas, no Brinco de Ouro -diante do Guarani. O objetivo foi criar um clima para que a seqüência de bons resultados não gerasse acomodação no grupo.

Este foi também o tema da preleção do treinador, ontem à noite, em Campinas. Cuca preparou uma fita contendo imagens das últimas partidas do tricolor e também do comportamento do torcedor, novamente motivado e presente nas arquibancadas.

“Esta energia será decisiva para a manutenção da boa fase. Tentamos criar algo novo jogo a jogo para não nos tornarmos repetitivos. Ainda mais em uma competição tão longa”, comentou Cuca. A preocupação do técnico ficou evidente no último treino do time. Ao invés do tradicional “rachão”, houve um treino tático, com jogadas ensaiadas e cobranças de faltas e escanteios. “Relaxar é um perigo e às vezes acontece até mesmo inconscientemente. Principalmente após as vitórias. É aí que prefiro ?puxar? um pouco mais”, disse.

O Paraná terá hoje a mesma formação utilizada no clássico frente ao Atlético. O meia Fernandinho foi dúvida no início da semana, mas recuperou-se das dores na coxa esquerda e foi confirmado pelo treinador. “Essa seqüência é muito importante para mim, pois estou procurando me encaixar no esquema do time”, comentou. As dores musculares foram uma conseqüência do desgaste sofrido no campeonato catarinense. “Como disputei as finais, estou num momento físico diferente dos demais jogadores. É algo que será corrigido com a seqüência dos trabalhos.”

Fernandinho tem função importante da estratégia de Cuca, assim como Caio e Marquinhos. A rotatividade do trio permite ao treinador variar do 4-5-1 ao 4-3-3, deixando o time coeso na marcação e veloz nos contragolpes. “A velocidade após a recuperação de bola é uma arma imprescindível para qualquer equipe. Com a participação coletiva, podemos sonhar alto neste Brasileirão”, acredita Renaldo. O artilheiro tem como meta a manutenção da média de um gol por partida. “Posso até passar em branco em alguns jogos. Mas em outros, farei mais de um gol. Ainda mais com o volume de assistências, que deve crescer ao natural”, avisou.

Renaldo já foi artilheiro do campeonato brasileiro em 1996, com 16 gols (ao lado de Paulo Nunes, do Grêmio). “Só que agora, além de marcar também estou servindo meus companheiros. Meu estilo de jogo evoluiu após a experiência que somei com as temporadas no futebol europeu”, lembra. Mesmo tendo somente 1,71m, os dois gols marcados até aqui pelo centroavante foram de cabeça – um pelo alto e o outro “de peixinho” – comprovando a boa colocação de Renaldo na área adversária.

Guarani muda o time para hoje

Campinas (AE)

– O Guarani tenta hoje, contra o Paraná, conquistar sua segunda vitória no campeonato brasileiro e ainda manter uma invencibilidade de mais de dois meses no Estádio Brinco de Ouro, em Campinas.

Mais do que manter esta escrita de bons resultados em casa, o objetivo do time campineiro é buscar a reabilitação após a derrota para o Grêmio (3 a 1), em Porto Alegre. O técnico Pepe também pediu muito empenho de seus jogadores, porque pretende manter o 100% de aproveitamento dentro de casa. “Vencer no Brinco é nossa obrigação, independente de quem seja o adversário”, comentou.

O técnico deverá fazer apenas uma modificação em relação ao time que perdeu no Sul. Com a situação do volante Rafael regularizada, o ex-jogador do Rio Branco tem presença garantida. Com isso, Leandro Guerreiro volta para o banco de reservas.

“Já não tenho mais problema algum. Estou pronto para jogar e dar alegria para a torcida do Guarani”, disse Rafael.

Na defesa Pepe resolveu manter Juninho entre os titulares. Mesmo com a total recuperação de Bruno Quadros, que ficou dois meses afastado em virtude de uma distensão muscular, o treinador resolveu não mexer na defesa que, segundo ele, está agradando. Na 1.ª rodada, o Guarani venceu o Vasco da Gama, por 4 a 2. Na sexta-feira, o apronto do Bugre foi realizado com portões fechados, num clima de total mobilização para esta partida.