O Paraná Clube voltará a sentir, no próximo fim de semana, aquele “gostinho” de primeira divisão. Uma sensação, é verdade, passageira, pois a realidade do clube é outra. Terá pela frente o Corinthians, que com uma mãozinha do próprio Tricolor garantiu sua volta à elite nacional com seis rodadas de antecedência.

O time de Paulo Comelli – o terceiro melhor do returno – está distante das primeiras colocações, mas também vive seus momentos de “estrelato”. Mesmo que como coadjuvante. O gol da vitória sobre o Barueri, por exemplo, foi transmitido ao vivo para todo o Brasil.

Explica-se: naquele momento, o pênalti convertido por Fabrício colocava o Corinthians, matematicamente, na Série A do Campeonato Brasileiro. Os resultados combinados (o Timão vencia o Ceará) determinaram a explosão dos corintianos, que lotaram o Pacaembu. E, nesse clima de festa dos paulistas, o Paraná surge novamente como figurante.

Só que ainda precisando de pontos por um objetivo menos glorioso. Enquanto o Corinthians celebra a volta por cima, o representante paranaense corre atrás dos pontos que ainda necessita para afastar de vez o fantasma da Terceirona.

“Acredito que será um grande jogo”, comentou o ala Fabinho, na expectativa pelo duelo. O jogador não acredita que o Paraná irá se deparar com um time “de ressaca” pela meta alcançada. “Não tem disso, não. Eles querem o título e vão vir com tudo pra cima da gente.”

O Corinthians ainda precisa de oito pontos para garantir o título da Segundona. Dependendo de eventuais tropeços do Avaí, o troféu virá com esforço ainda menor.

“Pelo que a gente já viu do Corinthians, que se preparou muito bem para essa competição, eles não vão diminuir o ritmo. Temos que fazer a nossa parte e lutar como nos últimos jogos fora de casa”, afirmou Fabinho, numa referência direta às vitórias sobre Vila Nova e Barueri.

Na teoria, o Paraná é o grande azarão da rodada. Tem, pelas projeções – do site chancedegol.com.br – apenas 3,6% de chances de sucesso contra o Corinthians. “Uma coisa posso assegurar: eles não terão moleza”, avisou o zagueiro Fabrício, um dos principais destaques desse “novo” time, montado às pressas para livrar o Tricolor de uma desastrosa queda para a Série C.

“Nosso grupo é bom e está muito focado. Vamos encarar o Corinthians com respeito, mas em busca do resultado.” A confiança do jogador é embasada pelo rendimento desse time, que conquistou 23 pontos apenas neste returno.

Desempenho que só não é melhor por alguns deslizes pontuais, creditados justamente à forma como esse time foi construído. “É normal ocorrerem oscilações. O importante é que a reação foi imediata. Trata-se de um grupo de qualidade e que está buscando seu espaço”, comentou o técnico Paulo Comelli, satisfeito com a forma como o elenco absorveu a derrota terrível para o Brasiliense e a cobrança por uma resposta imediata. “Temos mais seis decisões pela frente. Essa vai ser nossa diretriz, até a última rodada”, arrematou o treinador paranista.