O zagueiro Amarildo definiu ontem as bases de um novo contrato com o Paraná Clube. Ele permanece por mais uma temporada no Tricolor. Afastado do time há mais de dois meses, por causa de uma pubalgia, o jogador teve uma trajetória parecida com a do meio-campo Welington. A diferença foi apenas no tratamento definido pelos médicos. No caso de Amarildo, optou-se por um tratamento conservador, sem cirurgia.

O zagueiro está, na teoria, na fase final de recuperação, podendo iniciar a temporada 2012 sem qualquer restrição física. “Acertamos tudo em quinze minutos. Trata-se de um jogador importante, que, antes da lesão, foi titular absoluto do time”, lembrou o diretor de futebol Guto Mello. Amarildo, 29 anos, formou com Cris a dupla de zaga no melhor momento do Paraná nesta temporada. Com os dois em campo, o Paraná conseguiu superar desconfianças e se colocar como um dos candidatos ao acesso. No total, porém, Amarildo disputou somente doze jogos com a camisa tricolor. O jogador só conquistou espaço com a chegada de Roberto Fonseca.

No início da Série B -ainda sob a direção de Ricardo Pinto -, ficou no banco de reservas. Frente ao Boa Esporte, na primeira rodada, fez a sua estreia somente nos dez minutos finais da partida. Vendo a necessidade de melhorar o desempenho defensivo do time, Fonseca escalou Amarildo como titular frente ao Salgueiro (vitória por 1 x 0). Foram sete jogos seguidos no time e neste período o Paraná venceu quatro vezes. O único jogo onde a zaga “deu mole” foi frente ao ASA, em Arapiraca (4 x 2).

A partir daí, já convivendo com muitas dores musculares, Amarildo não conseguiu nova sequência. Sua última partida foi no dia 13 de setembro, ainda pela 4.ª rodada do returno. Após a derrota para o Salgueiro (2 x 1, fora), não mais conseguiu voltar. A renovação de Amarildo faz parte de um processo de manutenção da atual base. Algo que não ocorre no clube desde a queda para a Série B.