Pressão. Palavra corriqueira no vocabulário paranista. Reflexo de atuações ruins fora de casa e que deixam o Paraná Clube sem opções para os jogos diante de sua torcida.

Hoje às 21h, no Durival Britto , é vencer ou vencer. O Tricolor recebe o Vila Nova-GO precisando de pontos para se distanciar da temível zona do rebaixamento. Um quadro que faz a comissão técnica recorrer a todos artifícios, que vão dos treinos fechados à tentativa de ocultar a ausência do ala Fabinho, vetado pelo departamento médico.

No último jogo em casa neste primeiro turno, o Paraná precisa desesperadamente dos três pontos. Como chegar aos 29 pontos projetados por Sérgio Soares tornou-se impossível (se vencer os dois jogos que restam o Tricolor somente aos 27), o mais importante, no momento, é garantir um rendimento razoavelmente confortável em relação ao descenso. Até mesmo os jogadores já evitam falar em briga pelo G4 enquanto o clube não conseguir saltar ao menos para a metade de cima da tabela.

Diante dos últimos deslizes contra adversários da ponta de baixo da tabela, o Tricolor passou a jogar contra a matemática também. Para salvar o ano e voltar à Série A, o Paraná precisa vencer 14 dos 21 jogos que ainda disputa.

“Ainda temos que encontrar um jeito de jogar fora de casa. Mas, aqui, o time vem atuando bem. Temos que fazer nossa parte e vencer o Vila Nova”, disse o meia Davi, principal articulador da equipe de Sérgio Soares. O jogador entende que o “mistério” envolvendo a escalação da equipe é normal e “faz parte do jogo”.

“Nós já sabemos como o Sérgio gosta de trabalhar. É uma forma de nos blindarmos um pouco em relação aos adversários”, comentou Davi. Para o meia, o time só não pode repetir hoje a mesma sonolência vista em Campina Grande. “Em casa, não tem jeito. Temos que impor nosso ritmo e pressionar o Vila desde o início da partida”, concordou o zagueiro Gabriel. Ele volta à equipe após cumprir suspensão e entra na vaga de Freire. A outra mexida ocorre na ala-esquerda.

Fabinho, com uma lesão no adutor da coxa direita (ele passou por exames ontem à noite), desfalca o time e abre espaço para a estreia de Márcio Goiano, um dos últimos reforços contratados pelo Tricolor.

O restante do time deverá ser o mesmo da última jornada. A não ser que SS tenha preparado (em segredo) alguma surpresa. Uma das opções seria a presença, desde o início, do meia Rafinha, que entrou bem nas duas últimas partidas e aos poucos vai conquistando
seu espaço.