Uma facção da torcida tricolor deixou o Pinheirão gritando “timinho” e “vergonha”. Mas o vice-presidente do Paraná Clube, José Domingos, garante que o sinal de alerta ainda não foi ligado na Vila Capanema. Afinal, ontem tratava-se da segunda partida da temporada e na concepção do dirigente, o time esteve bem. “Mostramos evolução em relação ao primeiro jogo e só não houve outro resultado por detalhes”.

Entretanto, mesmo reconhecendo a evolução do time, Domingos confirmou que o clube continua atrás de reforços. Hoje à tarde deve chegar a Curitiba, para realizar exames médicos, o atacante Sidnei, que já vestiu a camisa do Ituano e do Marília. Outro que pode acertar contrato hoje é o volante Ferrugem, que estava no Atlético Mineiro. O jogador almoçou com a diretoria tricolor no sábado e acertou até as bases salariais. “Ele está muito interessado em jogar no Paraná, mas está avaliando uma proposta do futebol francês. Por isso ainda não é oficial”, disse Domingos. Além destes atletas, há boas chances de o Paraná assinar contrato com o atacante Athos, que passa por um período de testes e a diretoria ainda procura um centroavante. Para o Brasileirão, a diretoria deixou escapar que jogadores como Caio, Pierre e Renaldo podem voltar.

Saídas

Em contrapartida, hoje deve ser confirmado o desligamento de quatro atletas. O volante César Romero, que jogou como titular diante do Francisco Beltrão na quarta-feira, tem seu contrato expirando em fevereiro

e não haverá renovação. Também devem deixar

o clube o lateral-esquerdo Anderson e os atacantes Wellington e Washington,

que foram revelados nas categorias de base.

Atuação

PARANÁ

Flávio: Trabalhou bem quando solicitado, mas falhou na comunicação com Baresi no lance em que derrubou Bruno na área. Nota 4,5.

Alcir: Fora de ritmo ainda, pouco apoiou. Nota 5. Erivelton: Teve liberdade para apoiar pela direita, especialmente após a expulsão de Tesser. Nota 6.

Gelson Baresi: Também mostrou que ainda precisa de mais ritmo. Falhou no lance do pênalti do Coxa. Nota 5.

Fernando Lombardi: Impecável, mostrou que, apesar de zagueiro, tem uma técnica apurada. Nota 8.

Marcos Lucas: O Coritiba atacou muito mais pelo lado que estava sendo marcado por ele. Nota 5.

João Vítor: Firme na defesa, ainda arriscou chutes de fora da área. Nota 6.

Willian: Teve atuação discreta na primeira etapa, mas seu futebol cresceu na etapa complementar. Nota 5,5.

Jean Carlo: Jogou bem no primeiro tempo, mas cansou na etapa final. Nota 5,5.

Alex: Foi o destaque ofensivo do Tricolor, com bom posicionamento e armação de jogadas. Nota 7,5.

Éverton: Apesar de ser um dos destaques do time, esteve apagado na tarde de ontem. Nota 4,5. Éverton César: A marcação no meio melhorou com sua entrada. Nota 6.

Edinaldo: Atuação apagada. Nota 4. Vandinho: Apesar de ter sofrido um pênalti não marcado, no lance em que carimbou a trave, fez pouco para um matador. Nota 5.

Saulo de Freitas: Talvez tenha se precipitado ao escalar jogadores que ainda não estão em forma, mas conseguiu tirar proveito da expulsão do Coritiba e fez alterações eficientes. Nota 6.

CORITIBA

Fernando: Correspondeu quando exigido e teve bastante trabalho na segunda etapa. Nota 7.

Tesser: Estava indo bem na marcação até cometer faltas seguidas e ser expulso, deixando o time na mão. Nota 4.

Danilo: Esteve tranquilo e teve poucos erros. Nota 7.

Reginaldo Nascimento: Exagerou nas faltas (foto). Nota 6.

Lira: Foi bem na defesa, mas deixou a desejar no apoio. Nota 6.

Ataliba: pareceu perdido em alguns momentos, mas não comprometeu. Nota 6.

Roberto Brum: Foi um leão em campo e foi o autor do gol solitário. Nota 8.

Capixaba: Muita movimentação e poder de criação. Mas teve que ser sacrificado para a recomposição da defesa após a expulsão de Tesser. Nota 6. Pepo: Improvisado na lateral-direita, sofreu com a defesa para segurar o ímpeto do Paraná. Nota 5.

Luís Mário: Estava em todas e deu trabalho para a defesa tricolor. Mas pecou nas finalizações. Nota 6. Juninho: Jogou pouco tempo. Sem nota.

André Nunes: Entrou muito mal, pouco criou e deixou Luís Mário sem companhia eficiente no ataque. Nota 4. Bruno: Entrou muito bem e ainda sofreu o pênalti que originou o gol coxa. Nota 7.

Antônio Lopes: Apesar de um pouco confusa, a defesa ficou mais consistente jogando no 4-4-2. Fez uma alteração feliz ao escalar Bruno, que sofreu o pênalti e infernizou a defesa tricolor. Nota 7.