O Paraná Clube fez jus ao seu hino e, como um time gigante, detonou o Criciúma por 2 x 1, ontem à tarde. A cada rodada, o Tricolor vai consolidando a sua posição no G4 e mostrando, com um futebol prático e eficiente, que é candidato ao acesso para a Primeira Divisão do futebol brasileiro. A boa campanha, aliás, vem empolgando a torcida, que “invadiu” o Heriberto Hülse para ver a equipe do técnico Roberto Fonseca acabar com um invencibilidade do rival de 445 dias em seu reduto.

Foi a sétima vitória do Paraná na Série B. Resultado que confirmou a terceira colocação, agora com o mesmo número de pontos da vice-líder Ponte Preta (23). Um resultado que começou a ser construído num lance de bola parada. O jogo estava equilibrado, até a cobrança precisa de falta de Lima, aos 21 minutos. O zagueiro Brinner apareceu no meio da área para desviar de cabeça, sem chance de defesa para Andrey: 1 x 0.

O Tricolor, porém, não soube administrar a vantagem. Errando passes, cedeu espaço ao Criciúma e quase sofreu o empate numa bobagem de Cris. O capitão tentou recuar de cabeça para Zé Carlos, Bruno Meneghel foi mais rápido e tocou – para a sorte dos paranistas – por cima do travessão. Só que logo depois veio o revés. Num lance polêmico, Júnior Urso roubou a bola, mas o árbitro alagoano Francisco Carlos Nascimento deu falta. Na cobrança, Zé Carlos, o atacante do Tigre, mandou um balaço no ângulo direito: 1 x 1.

A partida seguiu igual até os minutos finais do primeiro tempo, quando o Paraná poderia ter feito o segundo. Cambará cruzou da direita, o zagueiro Rogélio furou feio e Giancarlo não soube aproveitar. De cabeça, tocou fraco e a zaga cortou. “Dá pra buscar um resultado melhor”, avisava Urso, na saída para o vestiário. Porém, o Criciúma voltou pressionando e o centroavante Zé Carlos perdeu três chances reais para virar o placar.

Foi então que Cambará entrou em cena e, aos 14 minutos, balançou a rede. Lisa chutou cruzado, Giancarlo ajeitou e Cambará chegou batendo, rasteiro, para colocar o Paraná novamente em vantagem. A partir daí, os times foram sendo alterados e, mesmo com volume de jogo, o Criciúma não conseguiu chegar ao empate. Do outro lado, o Tricolor não encaixava os contragolpes para “matar” o jogo. No fim, brilhou a estrela do goleiro Zé Carlos, que realizou duas grandes defesas e consolidou a vitória emblemática de um grupo que vai criando, a cada jogo, uma sintonia fina com a torcida.

Ficha Técnica

Série B – 1.º turno – 12.ª rodada

Criciúma: Andrey; Fabinho Capixaba, Rogélio, Anderson Conceição e Pirão; Jackson (Pedro Carmona,18 do 2.º), Baraka, Aloísio e Roni (Bryan, 24 do 2.º); Bruno Meneghel (Schwenck, 31 do 2.º) e Zé Carlos. Técnico: Guto Ferreira

Paraná: Zé Carlos; Lisa (Júlio César, 23 do 2.º), Cris, Brinner e Luciano Castan; Júnior Urso, Éverton Garroni (Maycon Freitas, 29 do 2.º), Lima e Cambará (Rone Dias, 35 do 2.º); Jefferson Maranhão e Giancarlo. Técnico: Roberto Fonseca

Local: Heriberto Hülse, em Criciúma-SC
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Assistentes: Carlos Titara da Rocha (AL) e Marcelo Bertanha Barison (RS)
Gols: Brinner, 21, e Zé Carlos, 29 do 1.º; Cambará, 14 do 2.º
Amarelos: Cris, Brinner, Júnior Urso, Éverton Garrone e Lima
Público Pagante: 7.236
Público total: não divulgado
Renda: R$ 77.900,00