Os três principais clubes do futebol paranaense iniciam a caminhada do 33.º campeonato brasileiro, todos com o objetivo definido de buscar o título nacional ou brigar por vagas na Copa Libertadores ou Copa Sul-Americana. Coritiba e Atlético já sentiram esse gostinho (em 1985 e 2001, respectivamente), ao passo que o Paraná Clube – o primeiro a estrear, hoje, contra o Santos, no Pinheirão – tenta o feito pela primeira vez. O Atlético estréia amanhã, contra o São Paulo, no Morumbi, ao passo que o Coritiba joga no mesmo dia, mas no Alto da Glória, enfrentando o Guarani.

A competição repetirá a fórmula do ano passado, com 46 rodadas em turno e returno, com pontos corridos. A maior novidade deste ano é o 5.º item do critério de desempate, que vai premiar quem tiver o menor número de cartões amarelos.

Os outros critérios são: 1.º) maior número de vitórias; 2.º) saldo de gols; 3.º) gols pró; 4.º) confronto direto (somente entre duas equipes); 5.º) menor número de cartões recebidos; 6.º) sorteio.

Os quatro primeiros colocados garantem vaga na Taça Libertadores de 2005. Caso algum destes times obtenha a classificação na Copa do Brasil, a vaga fica para o quinto colocado. A participação na Copa Sul-Americana ainda não está definida, mas com certeza premiará o critério técnico.

Além do título brasileiro, o Coritiba obteve dois 4.º lugares (79 e 80) e dois 5.º (72 e 2003). Em toda a história, o Alvi-verde disputou 577 jogos, obteve 221 vitórias, 148 empates, 202 derrotas, marcou 670 gols e sofreu 650. O Atlético, além de ser campeão brasileiro, tem um terceiro lugar em 1983. Já disputou 552 jogos, com 190 vitórias, 142 empates, 187 derrotas, marcou 664 gols e sofreu 635.

Já o Paraná Clube tem na sua história na primeira divisão o 5.º lugar em 2000, mas veio de uma disputa do módulo amarelo (considerada a segunda divisão, na qual foi campeão) e cruzou com os outros clubes nas finais. Fora isso, a melhor campanha foi a do ano passado, em 10.º. Nas suas onze participações, jogou 283 jogos, teve 102 vitórias, 72 empates, 115 derrotas, marcou 375 gols e sofreu 374.