Os jogadores do Paraná Clube aprovaram a permanência em Curitiba para a realização da intertemporada. Além de deixarem de rodar alguns quilômetros (seriam 580 até Marechal Cândido Rondon) não ficarão tanto tempo longe de casa. O departamento de futebol busca, agora, campos alternativos para que o gramado do Érton Coelho Queiroz não seja sobrecarregado e nem a Vila Capanema seja sacrificada. O Tricolor descartou atuar no Ninho da Gralha. “Todas as nossas categorias de base estão em atividade. Não dá pra encaixar mais o time profissional treinando lá. Vamos buscar outras alternativas”, disse o supervisor supervisor Fernando Leite.

Dois pontos pesaram na opção da diretoria. Além da questão econômica, o clube também considerou a complicada logística. Não apenas para o deslocamento de todo o grupo – cerca de 50 pessoas – até a região oeste do estado, mas também da própria viagem para Belo Horizonte, visando o jogo contra o América-MG, no início de julho, na retomada da Série B.

Devido às poucas opções de voos saindo de Cascavel, o grupo teria que seguir até Foz do Iguaçu. “Pesamos prós e contras e decidimos ficar em Curitiba. Iremos fazer alguns ajustes do cronograma, seguindo mais cedo para Belo Horizonte”, explicou Fernando Leite. O técnico Dado Cavalcanti apenas solicitou alguns dias em regime de concentração, o que deve ocorrer na semana que antecede o jogo na Arena Independência. “Ele acha importante esse período de confinamento, com foco total na competição. Vamos definir isso nos próximos dias”, emendou o supervisor.

O capitão Lúcio Flávio destacou a importância não apenas de uma boa estrutura para os treinamentos, mas também desse período com especial atenção ao repouso e à alimentação. “É importante que a gente tenha bons campos para os trabalhos táticos. Isso contribuiu diretamente para a evolução do time”, afirmou Lúcio. “Acho que tivemos pontos positivos nas primeiras rodadas, mas ainda precisamos evoluir. Em especial no volume de jogo e no desempenho ofensivo”, reconheceu. Com apenas quatro gols marcados, o Paraná está entre os piores ataques da Série B.

Ao menos um amistoso (ou jogo-treino) irá ocorrer durante a intertemportada. O último teste antes do reinício da Série B deve ocorrer entre os dias 28 e 30 de junho.