Walter Alves / O Estado do Paraná
Axel volta ao time hoje,
depois de 45 dias contundido.

“Temos que jogar como se do outro lado estivesse a seleção brasileira.” A frase do técnico Paulo Campos resume qual será a postura do Paraná Clube no duelo desta noite 18h, no Caio Martins, frente ao Botafogo. Em mais um “jogo de seis pontos”, o Tricolor tenta repetir a performance obtida em recentes sucessos fora de casa. Com maior coesão do meio-de-campo, espera anular a principal virtude do adversário: o toque de bola qualificado.

O time de Paulo Campos inicia hoje algo que pode ser analisado como um “mini-campeonato carioca”. Na próxima rodada, o Paraná “recebe” o Vasco da Gama, em jogo que marcará a inauguração do estádio Fernando Charub Farah. O título deste “triangular” representaria, além de tudo, a real possibilidade de fuga da zona de rebaixamento, impulsionando a campanha do Tricolor, em sua luta contra o descenso. Com uma tranqüilidade surpreendente diante das dificuldades, o treinador mantém a diretriz, analisando as possibilidades jogo a jogo e descartando projeções.

“Isso poderia gerar maior expectativa, nos expondo a frustrações”, avisou. O que deseja Paulo Campos é manter o elenco – agora fortalecido com recentes contratações e a volta de atletas que estavam no departamento médico – mobilizado para cada desafio. “A bola da vez é o Botafogo. Por isso, só pensamos neste jogo muito difícil, pois sei da qualidade do adversário e de seu treinador, que prima por armar equipes equilibradas”, comentou. Campos, além de buscar um resultado que lhe permita aproximar-se de outros concorrentes, estabeleceu mais uma meta: passar o rótulo de pior defesa para o Vitória.

“Pode parecer apenas um detalhe, mas muito significativo sob o aspecto psicológico”, alertou Paulo Campos. Ele tem batido muito nessa tecla. Depois de sucessivas derrotas e por placares elásticos sob o comando de seu antecessor, o Paraná reequilibrou sua defesa e em quatro jogos pelo brasileiro sofreu somente três gols. Nesta análise criteriosa do momento e dos adversários e rivais, o treinador fará as últimas correções enquanto assiste, com o grupo, os teipes de Paraná 0x0 Guarani e Botafogo 2×2 Vasco, na concentração.

A equipe viajou para o Rio de Janeiro ontem à tarde, mas com uma dúvida na zaga. Por orientação dos médicos, João Paulo será reavaliado no vestiário de Caio Martins. “Com mais um dia de tratamento, há a possibilidade de que ele reúna condições. Como é o titular, decidi trabalhar com este limite”, explicou. João Vítor é o eventual substituto e, por conta deste problema, a delegação está composta por dezenove jogadores. Axel e Etto foram poupados do último treinamento, mas jogam. O volante retorna à equipe após 45 dias sem jogar, devido a uma lesão muscular. Quem também retorna à condição de titular é o lateral-esquerdo Vicente, substituindo Edinho, lesionado.

Botafogo tem muitos desfalques hoje

Rio de Janeiro (AE) – O Botafogo vai pressionar o Paraná para tentar vencer e deixar para trás um concorrente direto na briga para se livrar do rebaixamento. O técnico Paulo Bonamigo deve utilizar um esquema mais ofensivo, com apenas um volante. Ele quer ver seu time acuando o adversário o tempo todo e, de preferência, decidir a partida logo nos primeiros minutos.

“É a hora em que o Botafogo tem que crescer mais ainda. Superar o Paraná em casa é nossa obrigação”, disse Bonamigo. Ele só não contava com a série de problemas para o jogo com o Paraná.

O lateral Ruy, que se recuperara de contusão e estava confirmado no time, sofreu uma torção de tornozelo e ficará fora. Seu reserva imediato, Márcio Gomes, também machucado, nem viajou com o grupo para Angra dos Reis, onde foi feita a preparação da equipe.

Quem pode entrar na lateral-direita para suprir as ausências é o veterano Valdo, numa improvisação que não era cogitada por ninguém no clube no início da semana. Isso porque a terceira opção para a posição, Rodrigo Fernandes, também se apresentava contundido.

“Como eu disse, é chegada a hora de superar todos os obstáculos. Não adianta ficar lamentando um problema ou outro”, comentou Bonamigo. A tendência é que ele promova a escalação dos novos contratados Caio, Ricardinho e Fábio Reis.

CAMPEONATO BRASILEIRO
32ª RODADA

BOTAFOGO x PARANÁ CLUBE

BOTAFOGO: Jefferson; Valdo (Rodrigo Fernandes), João Carlos, Gustavo e Renatinho; Fernando, Ricardinho, Fábio Reis (Valdo) e Almir; Caio e Schwenck. Técnico: Paulo Bonamigo.

PARANÁ: Flávio; Etto, Fernando Lombardi, João Paulo (João Vítor) e Vicente; Axel, Éverton César, Cristian e Canindé; Maranhão e Galvão. Técnico: Paulo Campos.

SÚMULA
Local
: Caio Martins (Niterói).
Horário: 18h.
Árbitro: Paulo César de Oliveira (FIFA-SP).
Assistentes: Adriano Augusto Lucas (SP) e Vicente Romano Neto (SP).