Walter Alves
Corintiano Marcelo Matos funga
no cangote do paranista Edinho.

Trocar Curitiba por Maringá pode ser bom financeiramente, mas em termos práticos é, decididamente, um péssimo negócio para o Paraná Clube. Mais um vez, o Tricolor deixou o Willie Davids com uma derrota no bolso: 2 a 1 para o Corinthians, resultado que deixou duplo gosto amargo – foi definido com um gol aos 47 minutos do segundo tempo e levou o Paraná à zona de rebaixamento do Brasileirão.

Foi a quinta partida do Paraná Clube contra equipes paulistas em Maringá, contando este Nacional e o anterior. O retrospecto é péssimo – um empate e quatro derrotas, ou 6,7% de aproveitamento. Desta vez, até os organizadores da partida tiveram prejuízo, já que a renda anunciada não ultrapassou os R$ 200 mil e a cota paranista era de R$ 300 mil livres de despesas.

Ao contrário da partida diante do Fluminense, ontem o Tricolor não mereceu melhor sorte. Sem criatividade nem qualidade ofensiva, a equipe de Caio Júnior foi na maior parte do jogo dominada pelo Timão – que atuou sem alguns de seus principais jogadores, como Mascherano, Carlos Alberto e Tevez.

No primeiro tempo, o predomínio alvinegro foi mais nítido. Duramente contestado pela torcida desde a eliminação da Copa Libertadores, o Corinthians exerceu marcação sob pressão sobre os tricolores. A estratégia deu certo, uma vez que o Paraná não conseguia trocar passes com eficiência nem barrar as infiltrações adversárias. Tanto que, em 16 minutos, os paulistas já haviam acertado duas bolas no travessão e marcado o primeiro gol, num belo chute do atacante Rafael Moura. O Paraná foi para o intervalo sem ter criado um só lance de perigo contra o goleiro Silvio Luiz.

Caio Júnior voltou para o segundo tempo com o meia Gerson no lugar do fraco volante Felipe Alves. O substituto não brilhou, mas o Paraná ganhou qualidade na frente com o avanço de Maicosuel ao ataque, e começou a incomodar. Depois das duas primeiras finalizações tricolores na partida, o árbitro Alício Pena Júnior apontou pênalti sem bola de Edson em Edinho. O zagueiro Emerson cobrou bem e o Paraná conseguiu o empate, aos seis minutos.

O jogo ganhou um pouco de eqüilíbrio. O Corinthians, embora sem o mesmo ímpeto da primeira etapa, ainda trabalhava melhor a bola. Mas o Paraná se arriscava, ora em bons lances criados por Edinho, ora em alguns contragolpes – dois deles foram finalizados por Vandinho, sem resultado. Mas o castigo maior viria no último minuto, quando a zaga vacilou e deixou Rafael Moura completamente livre para marcar e transportar a má fase do Parque São Jorge para a Vila Capanema.

Caio não entende má campanha

?A gente não entende o porquê disso?, lamentou Caio Júnior, na entrevista coletiva posterior à derrota para o Corinthians. Para o técnico, os resultados do Paraná Clube – 17.º colocado do Brasileirão, com quatro pontos em cinco jogos – soam injustos perante o desempenho da equipe.

Caio enxergou superioridade do Paraná sobre o Timão.

?Nos primeiros 20 minutos, o Corinthians pressionou. Depois fomos melhores até o final. Poderíamos ter vencido o jogo. É muito duro ver a equipe dominar e ser derrotada, mas no futebol temos que ser fortes?, falou.

Obediente à direção, o treinador preferiu não criticar a mudança da partida de Maringá. ?Nem ouvimos a torcida, muitos já saíam aos 40 do segundo tempo. O presidente (José Carlos de Miranda) tem dificuldade com receitas e procura manter os compromissos em dia. Vou com ele até o fim?, disse. A falta de um ?matador?, porém, voltou a ser lamentada por Caio – que não contou com os avantes Zumbi e Leonardo, contundidos. O técnico sugeriu que o clube deve trazer um reforço para o setor depois da Copa do Mundo.

Campeonato Brasileiro
5.ª Rodada
Local: Willie Davids (Maringá)
Gols: Rafael Moura (14-1º e 47-2º) e Emerson (6-2º)
Árbitro: Alício Pena Júnior (Fifa-MG)
Assistentes: Márcio Eustáquio Santiago (MG) e Alexandre Santos Conceição (MG)
Cartões amarelos: Nilmar e Roger (C), Felipe Alves, Ângelo e Batista (P)
Público: 7.224 pagantes (Total: 7810)
Renda: R$ 189.615,00

Paraná 1×2 Corinhthians

Paraná
Flávio; Gustavo, Emerson e Edmílson; Ângelo, Beto, Felipe Alves (Gerson), Batista e Edinho; Maicosuel e Cristiano (Vandinho). Técnico: Caio Júnior

Corinthians
Silvio Luiz; Édson, Sebá, Marcus Vinícius e Gustavo Nery; Marcelo Mattos, Xavier, Rosinei (Roger) e Ricardinho; Nilmar e Rafael Moura. Técnico: Ademar Braga