Paulo Campos deu instruções
ao seu time no meio de campo.

Em busca de identidade, o Paraná Clube estréia hoje no Brasileirão – às 21h45, no Pinheirão. Mais uma vez reformulado, e agora sob o comando do técnico Paulo Campos, o Tricolor encara o Santos, como no ano passado. Também em 2003, o clube buscava afirmação, pois vinha de campanha ruim no estadual e sem recursos para grandes contratações. A história se repetiu no início da temporada, com o clube ficando relegado à luta pela permanência na primeira divisão do Estado. Desta vez, porém, os dirigentes foram buscar novos investidores e o aporte financeiro veio de uma parceria com Sérgio Malucelli. O resultado foi mais de uma dezena de reforços e a completa mudança de perfil do elenco.

Toda a intertemporada foi realizada no interior paulista e para o torcedor o time ainda é uma incógnita. Alguns paranistas foram aos treinos dos últimos dias na tentativa de descobrir quem é quem. O clima é de visível ansiedade e por isso a atuação desta noite será importante para a evolução dos trabalhos. Na tentativa de estreitar laços com os torcedores, Paulo Campos assegurou aos integrantes de facções organizadas presentes ao Pinheirão (no coletivo de segunda-feira) que seu time será valente. “Aqui, não faltará disposição. Todos vão se doar ao máximo e o time será vibrante dentro de campo”, afirmou.

Paulo Campos valoriza cada toque certo, cada boa finalização e não se cansa de elogiar os atletas ao longo dos trabalhos. Com 23 anos de carreira – a maior parte dela no mundo árabe – o treinador faz também sua primeira incursão na Série A do Campeonato Brasileiro. “É até curioso, mas felizmente a oportunidade chegou e não vou decepcionar”, comentou. O técnico se diz um estrategista e preparou seu time para anular as principais qualidades do Santos. “Há pontos a serem explorados e vamos em busca de um resultado positivo, mesmo sabendo dos riscos. Respeitamos o adversário, que é um dos melhores do Brasil, mas não o tememos”, sentenciou.

Com Axel

Somente ontem à noite a escalação do Paraná foi definida. O volante Axel teve sua suspensão convertida em multa e assim poderá enfrentar o seu ex-clube. Entre os titulares, apenas dois remanescente do campeonato paranaense – o goleiro Flávio e o meia Jean Carlo. Coincidentemente, os mais experientes do time – ao lado de Axel -, que conta ainda com cinco jogadores vindos do Iraty (clube de Malucelli) e quatro do interior paulista. “O time ainda vai evoluir, mas temos um entrosamento aceitável para o curto período de preparação”, acredita o meia Fernando. Destaque do União Barbarense – clube de origem também do zagueiro Carlinhos -, Fernando tem se mostrado um jogador muito criativo, de passes precisos e ótimas assistências. “É o meu forte, mas vou correr atrás de uns golzinhos também”, afirmou.

No caso dos volantes Axel e Beto (da Portuguesa Santista) e dos atacantes Galvão e Adriano (do Iraty), Paulo Campos aposta no entrosamento natural das duplas para assegurar ao time maior equilíbrio e eficiência. Adriano tem sido o atacante de maior precisão na área. Com gols em todos os treinos táticos, ele quer estrear com o pé direito na Série A. “Sei que é um jogo difícil, mas espero ter a mesma eficiência dos treinos nesta largada”, finalizou o jogador. Com a camisa 9, terá a missão de fazer a torcida esquecer os gols de Renaldo, artilheiro da equipe na edição passado do Brasileirão, com 30 gols.

Doze reforços. Faltam cinco

Com o maior número de contratações entre os 24 integrantes da Série A, o Paraná Clube inicia sua caminhada hoje à noite, tendo como objetivo melhorar a campanha do ano passado. Esta é a intenção de dirigentes, integrantes da comissão técnica e jogadores. A tarefa pode parecer complicada – principalmente diante da previsível falta de entrosamento da equipe -, mas Paulo Campos garante que o grupo é qualificado e tende a ser ainda melhor a partir das contratações que o Tricolor ainda está finalizando.

A diretoria confirmou o acerto com o meia Canindé, destaque do Paulista. Os direitos federativos do atleta foram adquiridos por Sérgio Malucelli, mas ainda falta a rescisão de seu contrato com o clube de Jundiaí. A diretoria trabalhava ontem à noite para tentar viabilizar a sua apresentação ainda para hoje. Além de Canindé, o Tricolor pretende trazer mais cinco ou seis jogadores. “Nosso grupo ainda é pequeno. As transações estão lentas, mas porque negociamos com jogadores de qualidade”, afirmou o diretor de futebol Durval Lara Ribeiro.

O Paraná já contratou doze jogadores. Sete deles vieram do Iraty, fruto da parceria com o empresário Sérgio Malucelli: os laterais Cláudio e Wesley; o zagueiro Nelinho; os volantes Russo e Nílson e os atacantes Adriano e Galvão. Do interior paulista – onde o clube fez uma criteriosa avaliação durante os primeiros meses do ano – vieram o zagueiro Carlinhos e o meia Fernando (ambos do União Barbarense); os volantes Axel e Beto (Portuguesa Santista) e o atacante Chokito (Taubaté).

Ontem, mais um jogador do União Barbarense se apresentou na Vila Capanema. O meia Marcel veio para período de avaliação. Com 22 anos, formou dupla com Fernando, que deu ótimas referências do jogador. Hoje, o clube também deve apresentar o atacante Carlos Eduardo (conhecido no Rio Grande do Sul como Zulu), de apenas 19 anos. O jogador já esteve no Grêmio e pertence ao Ulbra. O Paraná ainda tenta trazer o meia Aílton (Paulista), o lateral-esquerdo Lino (São Paulo) e os atacantes Wellington Paulista (Juventus) e Luciano Henrique (Atlético Sorocaba).

CAMPEONATO BRASILEIRO
1ª RODADA
SÚMULA
Local: Pinheirão (Curitiba).
Horário: 21h45.
Árbitro: Giulliano Bozzano (SC).
Assistentes: Alcides Zawaski Pazetto (SC) e Marco Antônio Martins (SC).

PARANÁ CLUBE
x
SANTOS

PARANÁ
Flávio; Cláudio, Nelinho, Carlinhos e Wesley; Axel, Beto, Jean Carlo e Fernando; Galvão e Adriano. Técnico: Paulo Campos.

SANTOS
Júlio Sérgio; Paulo César, André Luís, Pereira e Léo; Clayton, Renato, Elano e Diego; Robinho e Leandro Machado. Técnico: Émerson Leão.