Na noite de ontem, a equipe do Rio Branco de Paranaguá foi punida pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná, com base no artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, por escalar o lateral Adriano irregularmente no Estadual deste ano. Por 4 votos a 2, o Leão da Estradinha foi setenciado com a perda de 22 pontos, sem aplicação de multa. Ainda cabe recurso da decisão, e o caso deve seguir em frente e apenas se dar por encerrado no STJD.

O julgamento já começou tumultuado, quando o advogado de defesa do Rio Branco, Domingos Moro, protocolou um pedido para ser o terceiro a se manifestar e não o segundo. O pedido foi negado pelo presidente do TJD, Peterson Morosko, e o defensor do time de Paranaguá, em protesto, abandonou a sessão. “Se eu não sei como são a defesa e os argumentos do Paraná, como eu vou me defender? Eu não poderia falar depois do Paraná, não faz sentido”, comentou Domingos Moro.

O advogado do Rio Branco não se surpreendeu com o resultado e já declarou que hoje protocola o pedido de recurso e que vai pedir ao STJD que o julgamento da noite de ontem seja anulado, já que de acordo com o CBJD ele deveria ser o último a se manifestar.

Do outro lado, houve muita comemoração da diretoria do Paraná Clube, que beneficiado com a perda de pontos do adversário permanece na Primeira Divisão do Estadual em 2012. “É um sentimento de alívio. O Paraná fica um pouco mais tranquilo com esse resultado. Temos que comemorar nesta noite, mas amanhã já iniciamos a preparação para os recursos. Ainda não vencemos a guerra”, destacou o advogado tricolor, Itamar Cortês.

O presidente do TJD, Peterson Morosko, aproveitou para fazer um alerta às equipes no final do julgamento. “Os clubes devem estar mais atentos aos regulamentos e normas que eles são obrigados a seguir. Para evitar casos como esses”, concluiu o presidente.