O Paraná entra em campo hoje para mais um desafio de vida ou morte no Paranaense 2009. Às 15h45, em Toledo, o Tricolor encara o time da casa com a obrigação de encerrar a sequência de quatro jogos sem vitória. Tarefa nada simples, já que o Porco segue invicto em seus domínios.

Na zona de rebaixamento, o time da Vila não pode se contentar com nada além de uma vitória. O técnico Paulo Comelli, que permaneceu no cargo mesmo após o empate com o Cianorte, na última quinta-feira, não deve resistir
a um novo tropeço.

Apesar da péssima fase, os jogadores do Tricolor se esforçam para mostrar confiança. “É complicado ver o time na zona de rebaixamento, mas o grupo tem muita qualidade. Com certeza vamos reverter essa situação”, diz o garoto Bruninho, que fará sua estreia como titular.

O técnico Paulo Comelli ainda não definiu o time que enfrenta o Toledo, mas confirmou duas mudanças. Além de Bruninho, o zagueiro Elton ganha um lugar na equipe. Ele deve entrar no lugar do volante Agenor, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, com o esquema tático mudando para o 3-5-2.

Outra opção é a entrada de Elton no lugar de João Paulo, com a manutenção do 4-4-2. Nesse caso, quem ganha espaço é Edimar. “Todos os que estão de fora buscam seu espaço. Não sou diferente e espero ter uma chance”, afirma o volante, único reforço tricolor que ainda não estreou.

Bruninho também não sabe em que posição vai jogar.

A tendência é que ele entre no lugar de Gedeon, formando o meio-campo com Hernani e Kléber. Mas Comelli também pode testá-lo no ataque, ao lado de Wellington Silva. Neste caso, quem vai para o banco é o atacante Osmar.
Peças importantes nas jogadas ofensivas, os laterais já escolheram qual esquema preferem.

“No 3-5-2, os alas têm liberdade para apoiar, cair pelo meio… No 4-4-2, não. Quando um sobe, outro tem que fechar. Para mim é melhor o 3-5-2. Tenho facilidade para chegar na frente, bater para o gol e dá mais segurança lá atrás”, avalia Fabinho.

Seja qual for o esquema, o Paraná não tem alternativa. Voltar de Toledo com menos de três pontos será desastroso para o Tricolor, que ficará distante dos oito primeiros e fazendo as contas para escapar da Segundona estadual. “Precisamos dessa vitória mais do que nunca, não importa como seja. Jogando mal ou bem, o resultado tem que vir a qualquer custo”, conclui Bruninho.