Começou na noite de ontem a segunda excursão internacional da história do Paraná Clube. Até chegar a Ucrânia, a delegação tricolor terá que pernoitar na Alemanha e passar pela Polônia, ‘escalas’ necessárias para o destino – Lviv, capital da província mais ocidental do país. Serão quatro jogos na segunda vez em que uma equipe brasileira passará pela Ucrânia.

O único amistoso entre equipes dos dois países aconteceu justamente em Lviv, em 1970. O Palmeiras enfrentou o Karpaty (o último adversário do Tricolor, no dia 22) no estádio Ukraina e foi derrotado por 1 a 0. Portanto, se o Paraná vencer apenas um de seus jogos, já escreverá seu nome na história do futebol ucraniano.

São quatro chances: dia 13, contra o Zakarpattia, em Uzhgorod; dia 16, contra o Prykarpattia, em Ivano-Frankivsk; dia 19, contra a seleção sub-21 da Ucrânia e dia 22, contra o Karpaty – as duas últimas partidas acontecerão em Lviv. As três equipes que o Paraná vai enfrentar participam da primeira divisão do futebol ucraniano, enquanto a seleção sub-21 foi eliminada pela Suíça nas eliminatórias do campeonato europeu da categoria.

Não será uma viagem rápida até a Ucrânia. A direção do Paraná enfrentou dificuldades para conseguir a conexão entre Frankfurt e Varsóvia, tendo que ficar hoje na Alemanha (a delegação deixou São Paulo às 22h30 de ontem), saindo apenas na manhã de quarta para a capital da Polônia. De lá, parte de ônibus para Lviv – uma viagem de 400 km, chegando a menos de 24 horas da primeira partida, marcada para as 18h de quinta (12h, no horário de Curitiba).

Mas os percalços da viagem não desanimaram o Paraná. Na sexta, foi ministrada uma palestra para elenco e comissão técnica sobre os costumes do país e as particularidades da região de Lviv, que fica encravada nos Cárpatos, próxima da Polônia e da Eslováquia. “É um momento muito importante para todos nós, que vamos encontrar uma cultura totalmente diferente”, comentou o técnico Caio Júnior. “Por isso, todos os cuidados são necessários”, finalizou.

Delegação

Ainda ontem Caio Júnior comandou um trabalho para todo o elenco. Os dezessete jogadores que viajaram são Marcos, Neneca, Luís Paulo, André, Édson, Juliano, Fabinho, Hélcio, Emerson, César Romero, Ronaldo, Goiano, Alexandre, Maurílio, Adriano Chuva, Márcio e Dennys.