A tarde se desenhava de forma perfeita para o Paraná. O time jogava bem contra o Avaí, abriu 2 a 0 e tinha total controle do jogo. Pena que, após o intervalo, a equipe vacilou demais, cedeu espaços e permitiu que o alviceleste catarinense gostasse do jogo e, pior, arrancasse o empate, fazendo com que o jogo perfeito se transformasse em um duelo frustrante para o seu torcedor.

O primeiro tempo paranista foi excepcional. Bem postado taticamente e, principalmente, não errando passes, o tricolor botou fácil o Avaí no bolso, que conseguiu disparar contra a meta de Luís Carlos apenas duas vezes em toda a etapa inicial de partida.

Melhor em campo, o primeiro gol paranista veio aos 19 minutos. Paulinho, um dos melhores pelo lado paranista, tocou para Paulo Sérgio, que passou pela zaga e chutou forte. Diego fez a defesa parcial, mas a bola sobrou para Léo, que, com calma, escolheu o canto e fez o gol.

Apesar de uma investida logo em seguida do Avaí, era o Paraná quem criava as melhores chances. O time jogava de forma tão natural que o segundo gol era apenas uma questão de tempo. Dez minutos depois, Lúcio Flávio cruzou para Rubinho, que cabeceou no contrapé do goleiro do Avaí, ampliando a diferença, para festa da torcida paranista, que marcou presença no estádio Ressacada.

O Paraná ainda criou outras boas chances. Ricardo Conceição e Léo tiveram oportunidades de ampliar o marcador, mas acabaram levando azar na hora da finalização.

Time recuou, Avaí empatou

Pressionado pela torcida, o Avaí começou o segundo tempo a mil, tentando reverter o prejuízo inicial. Para sorte dos donos da casa, o Paraná recuou e deu espaço. 

Logo com três minutos, o Avaí descontou com Tauã, que havia entrado no final do primeiro tempo. Márcio Diogo fez o que quis na área paranista e rolou para o atleta avaiano, sem marcação, diminuir o placar.

O gol animou o Avaí, que passou a pressionar a equipe paranista. Contudo, quem quase marcou aos 14 minutos foi o Paraná, em uma boa descida de Paulo Sérgio, que acertou a trave de Diego. A resposta do Avaí veio cinco minutos depois. Nova vacilada da zaga paranista. Alex Reinaldo rolou para Márcio Diogo encher o pé e deixar tudo igual. E o mesmo Márcio Diogo quase virou a partida dois minutos depois, ao mandar um chute perigoso contra o gol de Luís Carlos.

Após o empate, o Paraná acordou, mas pouco criou. Ao menos, o time conseguiu segurar as investidas do Avaí, que também acabou reduzindo a velocidade da partida e pouco incomodou Luís Carlos.

O empate mantém o Paraná na sétima colocação, a quatro pontos do G4. O próximo compromisso do Paraná será no dia 19, contra o América-RN, na Vila Capanema.