parana020705.jpg

Renaldo jogará pela primeira vez ao lado
de Borges no ataque tricolor.

A explosão de Borges aliada à eficiência de Renaldo. Pode residir nestes pontos o início de uma nova fase na vida do Paraná Clube. O primeiro teste de campo da dupla de ataque dos sonhos dos tricolores será hoje – às 16h, no Raulino de Oliveira -, em Volta Redonda. Se o favoritismo é do Fluminense, pouco importa. O objetivo do time de Lori Sandri é surpreender os cariocas e conquistar a primeira seqüência de vitórias neste Brasileirão.

Há vários aspectos da equipe paranista a serem considerados – como as alterações na zaga -, mas a confirmação da nova dupla de ataque foi o centro das atenções ao longo de toda a semana, na Vila Capanema. "Quem não gostaria de contar com dois jogadores com tal capacidade de finalização?", disparou Lori. É justamente esse poder de fogo que o torcedor espera ver em campo a partir deste sábado. Os atacantes, porém, procuraram dividir a responsabilidade com todo o grupo.

"Se a dupla vai funcionar, só o tempo dirá", comentou Renaldo. "Mas, para que essa formação ?dê liga?, o conjunto deve funcionar." O experiente atacante usou como exemplo a equipe de dois anos atrás. "Posso ter feito trinta, mas todos marcavam gols. Havia uma perfeita sintonia e os atacantes eram sustentados por uma marcação eficaz. Um grande time se faz assim, com participação coletiva", explicou Renaldo. Borges concorda com o companheiro e aponta a vontade e o companheirismo como fatores que podem determinar o perfeito casamento da dupla.

Lori Sandri sabe que com os dois jogadores em campo a equipe tende a melhorar ainda mais o nível de aproveitamento nas finalizações. Em jogos passados, o Paraná criou e desperdiçou – praticamente na mesma proporção – várias chances de gols. Há outro fator positivo. "Os dois sabem segurar a bola no ataque com facilidade. Isso permite que o time se organize lá atrás sem levar sufoco", comentou o treinador. Essa característica dos atacantes compensa, em parte, uma teórica falta de presença de área.

Borges e Renaldo são jogadores versáteis, que evitam posicionar-se entre os zagueiros adversários para esperar cruzamentos. "O nosso estilo de jogo não vai mudar. Até porque o André Dias também não ficava fixo na área", lembrou o técnico do Paraná. "Como nós dois tocamos a bola com facilidade, sempre buscando as tabelas, a tendência é uma ajuda mútua pelo bem do time", disse Borges. "Sei que ele faz assistências com precisão e vou tentar retribuir da mesma forma. Assim, independente de quem faça os gols, temos tudo para somar pontos importantes", finalizou Borges.

Ele volta ao time após cumprir suspensão, assim como o volante Beto. Na zaga, diante das ausências de Marcos e Aderaldo, suspensos, o treinador confirmou Fernando Lombardi e João Paulo. "Estou tranqüilo quanto a essas mudanças. O Lombardi e o João vêm treinando bem e evoluíram muito em relação ao estadual", disse Lori Sandri. Por acreditar que a manutenção de um padrão de jogo é fundamental para a evolução da equipe (ainda em formação), o técnico descartou outras opções e definiu o time, novamente, no 3-5-2.

Casamento perfeito?

Renaldo teve passagem memorável pelo Paraná em 2003. Na oportunidade, foi vice-artilheiro do Brasileiro, um gol apenas atrás de Dimba (então Goiás). Retornou no início da temporada e, mesmo diante da fragilidade da nova equipe, balançou as redes nove vezes no estadual. Devido a uma tendinite, desfalcou o Tricolor em boa parte deste início de Brasileiro e hoje faz apenas a sua quarta partida. Mesmo diante desse quadro, é um ídolo da galera tricolor.

Borges chegou ao clube às vésperas da atual competição. Tinha como ponto principal em seu currículo os dez gols que marcou pelo União São João no Paulista deste ano. Bastaram os primeiros jogos para que ele caísse nas graças do torcedor. Já fez cinco gols e -mesmo não fazendo promessas – acredita que pode brigar pela artilharia. Com características de jogo parecidas, mostram afinidade também fora de campo e evitam que se criem muitas expectativas em torno da dupla.

Nem um nem outro gosta de falar sobre suas virtudes (e defeitos) dentro de campo. Mesmo assim, fizeram uma breve análise do potencial de ataque que o Tricolor leva para o campo de jogo a partir desta tarde.