Ano novo, vida nova. Essa frase é antiga e sempre utilizada no futebol quando uma equipe que não foi bem na temporada passada e recomeça todo o trabalho. No Paraná Clube não é diferente, principalmente para quem ficou no elenco, caso, por exemplo, do volante Leandro Vilela.

Revelado na base paranista, o jogador oscilou entre altos e baixos no time, tendo oportunidades em alguns momentos e em outros ficando de fora. Com o técnico Wagner Lopes, a tendência é que ele inicie 2017 como titular, assim como aconteceu nos dois jogos-treinos diante do Joinville.

“Toda vez que muda a comissão técnica, é vida nova para todo mundo. Quero estar entre os 11 na quarta-feira e no ano todo, mas se não estiver, estarei apoiando fora de campo também”, disse ele.

O discurso não é apenas da boca para fora. Em apenas 17 dias de pré-temporada, e ainda conhecendo uns aos outros, os atletas parecem estar se entendendo bem, a ponto de o grupo já se considerar uma família, o que facilita na briga por uma posição na equipe, mas sem diminuir a vontade.

“Todo mundo está procurando dar o seu melhor e temos tudo para montar uma família e na quarta-feira mostrar isso dentro de campo”, completou Leandro Vilela.