Dos seis reforços já confirmados pelo Paraná Clube para a disputa do Campeonato Brasileiro, nada menos do que quatro são atacantes. Certeza, então, de um ataque totalmente reformulado para que o Tricolor consiga fazer um bom papel no seu retorno à primeira divisão depois de longos dez anos de sofrimento na Série B. Para a estreia na competição nacional diante do São Paulo, segunda-feira (16), no Morumbi, o setor ofensivo deve contar com vários estreantes.

Se mantiver a mesma ideia do jogo-treino realizado diante do Joinville, no último sábado (7), na Vila Capanema, quando perdeu por 2×0, o técnico Rogério Micale vai colocar em campo três atacantes. Todos eles recém-contratados. Enquanto Léo Itaperuna e Raphael Alemão foram escalados pelos lados do campo, Luan Viana atuou mais na referência e, ao que tudo indica, já sai na frente na disputa por uma vaga de titular da equipe.

Aos 22 anos, Luan Viana, por curiosidade, é o reforço menos conhecido do pacotão do Paraná Clube. O jogador chegou ainda na disputa do Campeonato Paranaense e agradou o treinador. O jogador iniciou a carreira na Portuguesa e passou pelo Grêmio, mas nunca conseguiu se firmar. Agora, tem a chance de despontar no cenário do futebol brasileiro com a camisa paranista.

Raphael Alemão veio do Foz e já foi escalado por Rogério Micale. Foto: Divulgação/Paraná Clube
Raphael Alemão veio do Foz e já foi escalado por Rogério Micale. Foto: Divulgação/Paraná Clube

Luan Viana desbancou Thiago Santos, que foi um dos poucos jogadores do Tricolor que se destacaram no Campeonato Paranaense, quando marcou dois gols no Estadual e tem justamente essa característica de jogar mais na referência. No amistoso diante do Joinville, jogou o segundo tempo na equipe reserva.

Dos atacantes contratados pelo Paraná Clube, o único que não foi escalado como titular foi Silvinho, muito também por ter sido último a chegar, depois de disputar o Campeonato Paulista pela Ponte Preta.

No duelo contra o Joinville, o atleta formou o trio ofensivo ao lado de Thiago Santos e Minho, que se recuperou de uma lesão na clavícula, sofrida na estreia no Campeonato Paranaense, em janeiro, e passa a ser mais uma opção para Micale.

Léo Itaperuna também ganhou a posição no Tricolor. Foto: Divulgação/Paraná Clube
Léo Itaperuna também ganhou a posição no Tricolor. Foto: Divulgação/Paraná Clube

Pela base dos times que o técnico, a tendência é que alguns atacantes que disputaram o Estadual devem perder espaço a partir de agora. Casos de Vitor Feijão, que atuou em uma parte apenas do compromisso contra os catarinenses, e de Diego Gonçalves, que sequer entrou em campo.

Apesar de ter sido o artilheiro do Tricolor no Paranaense, com quatro gols marcados, Diego Gonçalves está em baixa. Na semifinal do segundo turno, diante do Londrina, na Vila Capanema, o jogador desperdiçou duas penalidades. Uma no tempo normal e outra nas cobranças decisivas após o empate em 1×1 nos 90 minutos, deixando o gramado muito xingado pelos torcedores.

Seja quem for escalado para compor o ataque do Paraná Clube, a missão será difícil. Muito mais complicada do que a que foi encontrada até agora pelo Tricolor na temporada. Por isso, a preocupação da diretoria em dar mais poder de fogo à equipe de Rogério Micale para conseguir se manter na elite do futebol nacional.