Nova diretoria, velhos erros e a pior campanha da história recente do Paraná Clube na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Assim pode ser resumida a temporada de 2016 do Tricolor que, além de ter passado muito longe de conquistar o acesso para a Série A, correu risco de rebaixamento e terá que se contentar, em 2017, em disputar a sua décima edição seguida da segunda divisão.

Independentemente de vencer ou não o Tupi, nesta sexta-feira (25), às 19h15, na Vila Capanema, o Tricolor já marcou a sua pior participação na Série B. O time paranista, se vencer os mineiros, que já estão rebaixados para a Série C, chegará aos 44 pontos e fechará sua participação com rendimento pífio de apenas 38% na competição nacional.

Paranista de coração e ídolo do atual elenco, o goleiro Marcos representa bem o sentimento do torcedor. Todo início de ano, apesar das dificuldades já conhecidas, há a renovação das esperanças vindo das arquibancadas, mas em campo, o Paraná vem protagonizando uma decepção atrás da outra.

“Eu tenho sentimento de torcedor quando se inicia o ano, cheio de esperança, com aquele sonho de ver a Vila Capanema cheia, de ver o torcedor pintado na rua com as cores do clube e chegar nesse momento estar brigando lá em cima. Esse era o desejo do meu coração. Trabalhei todos os dias e dei meu melhor para que isso acontecesse. Não conseguimos e a gente volta aqui para dar explicação disso, daquilo”, declarou o arqueiro ainda quando o Tricolor corria risco de queda.

Neste ano, esse sentimento ficou ainda mais aflorado por conta da boa campanha do Tricolor no Campeonato Paranaense, quando foi eliminado pelo Atlético nos pênaltis nas semifinais, na Vila Capanema. Porém, o bom futebol encheu de novo o torcedor de esperança, mas a falta de convicção no trabalho realizado levou a diretoria demitir o técnico Claudinei Oliveira ainda no início da Série B.

O treinador, que teria tido algumas divergências com o então diretor de futebol Durval Lara Ribeiro, o Vavá, assumiu o Avaí e, com uma grande campanha, conduziu o time catarinense de novo à elite do futebol nacional, comprovando o erro competido pela cúpula paranista.

Até então, a pior campanha do Paraná nas últimas edições da Série B aconteceu no ano passado, quando o Tricolor fechou sua participação com 47 pontos conquistados e somente 41% de rendimento. Em 2008, no primeiro ano depois que foi rebaixado, em 2007, o clube teve a sua, agora, terceira pior participação, quando somou somente 49 pontos e passou longe de conseguir o acesso.

Com mais um ano ruim, com mais erros do que acertos, pelo menos no que diz respeito ao departamento de futebol, o Paraná Clube, com o rebaixamento do Bragantino, torna-se agora o time que está há mais tempo disputando a Série B de maneira consecutiva. Assim, em 2017, será a sua décima edição seguida na segunda divisão.