Depois de fazer dois jogos em apenas quatro dias pela Série B do Campeonato Brasileiro, o Paraná Clube terá a semana cheia para trabalhar para o clássico contra o Londrina, que acontece sábado (10), às 16h, na Vila Capanema. Além de ter este tempo a mais para preparar o Tricolor, o técnico Marcelo Martelotte terá a chance de contar com jogadores que estão no departamento médico.

Este tem sido um problema recorrente do Paraná Clube ao longo da Série B. No empate em 3×3 diante do Oeste, no último sábado (3), em Osasco, a baixa de última hora foi o meia Cristian, com dores musculares na coxa. O comandante paranista, apesar desses problemas, espera que o time possa evoluir dentro da competição.

“A gente tem limitações e temos que encarar a realidade. Hoje, temos o departamento médico cheio, muitos jogadores que poderiam ser opções para a sequência e não sabemos quando vai ser a recuperação desses atletas. Mas isso é natural no campeonato, todas as equipes têm esse tipo de dificuldade. Estamos sofrendo um pouco mais com isso, mas acredito na evolução dessa equipe jogando em um nível melhor”, apontou o treinador.

Além de Cristian, os meias Murilo Rangel e Válber, o zagueiro Leonardo, o volante Claudevan, os laterais Fernandes e Rafael Carioca, além do atacante Henrique, foram vetados pelo departamento médico. Destes, quem tem mais chance de jogar contra o Tubarão é Cristian, que não teve lesão confirmada e foi poupado do duelo contra o time paulista.

Assim, contra o Londrina, a tendência é de que Martelotte coloque em campo novamente um meio de campo diferente daquele utilizado contra o Oeste. Nádson deve voltar para o banco e a tendência é de que Cristian inicie a partida ao lado de Guilherme Queiroz, na criação. No ataque, Lúcio Flávio, autor mais uma vez do gol salvador, nos acréscimos, que evitou o revés do time paranista, pode ganhar a vaga de Fernando Karanga.