Será pensando no jogo a jogo que o Paraná Clube vai voltar na disputa do Campeonato Brasileiro. Mesmo sabendo da difícil missão que tem em somar 45 pontos até o fim do ano para se livrar do rebaixamento, o elenco não quer focar somente na matemática. A expectativa é que esse tempo extra de treinamentos ajude a equipe a surpreender e mostrar um bom desempenho dentro de campo. O time paranista encara o Vitória, no Barradão, no dia 18 de julho. Os baianos estão na 16ª colocação, com doze pontos, apenas dois a mais que o Paraná.

O volante Leandro Vilela explicou que o recesso vem sendo muito aproveitado para que o time volte com uma postura diferente no Brasileirão. Para ele, o primeiro confronto pode ser decisivo para o rumo do time na competição.

“Temos três semanas para evoluir mais do que já evoluímos nos últimos jogos. Vamos implementar umas coisas novas, o professor (Rogério) Micale já deixou isso bem claro. E na volta temos um confronto direto, vamos encarar como uma final. Pegamos o Vitória lá em Salvador e se a gente conseguir um resultado positivo a gente tem grandes chances de sair da zona de rebaixamento”, explicou o jogador.

Leandro Vilela ressalta pensamento jogo a jogo no Paraná. Foto: Albari Rosa.
Leandro Vilela ressalta pensamento jogo a jogo no Paraná. Foto: Albari Rosa.

Depois de jogar na Bahia, o Tricolor encara o América-MG, na Vila Capanema, mas Vilela não quer projetar a pontuação no campeonato a longo prazo.

“Particularmente penso jogo a jogo. Se pensar na sequência e, caso a gente perca para o Vitória, já vamos entrar muito pressionado contra o América. Então, a gente deve primeiro entrar concentrado no primeiro compromisso, conseguir um bom resultado. O importante é pontuar para nenhuma equipe se distanciar. E, depois, dentro de casa a gente sabe que vem tendo outra característica, vem jogando melhor, ao lado da nossa torcida. Ali a gente sabe que tem que ganhar os três pontos”, detalhou o jogador.

Para sair da zona do rebaixamento após a pausa para a Copa do Mundo, o Tricolor contará com reforços. Além de Rodolfo, o primeiro confirmado neste período, o meio-campo Nadson, velho conhecido da torcida paranista, também chegou e prometeu a mesma dedicação que teve em 2016, quando vestiu a camisa vermelha, azul e branca. Naquela temporada, o meia marcou sete gols e deu 13 assistências.

Confira a tabela e a classificação do Brasileirão!

“A gente vai ter que trabalhar bastante. Em 2016, eu pude dar bastante assistência, espero ajudar o time desta maneira novamente e também gosto de finalizar”, falou Nadson, que já chega acostumado com a pressão que deve encarar na Vila Capanema. “Há dois anos tínhamos uma pressão muito forte, principalmente porque estávamos há muito tempo na Série B e precisávamos subir. Não conseguimos, mas tínhamos um bom time. Neste ano é diferente, também é pressão, mas vamos conseguir sair dessa situação”, frisou o novo “velho” reforço.