O Paraná Clube definiu, ao jogar com um time inteiro reserva contra o Londrina, na última terça-feira (21), pela Primeira Liga, no Estádio do Café, que a sua prioridade neste início de temporada é a Copa do Brasil. E não é para menos. O Tricolor já lucrou nada menos do que R$ 565 mil. Se passar pelo Bahia, neste sábado, às 16h30, em partida única que será realizada na Vila Capanema, o clube vai receber mais R$ 680 mil e esses recursos trarão um alívio financeiro neste começo de ano.

A Copa do Brasil, pelo menos neste início de ano, é a competição mais lucrativa para o Paraná Clube. Este fato tem pesado bastante, já que o clube não conseguiu definir seu patrocinador máster ainda para o restante da temporada. Na sua camisa, há apenas um apoiador, anunciado na semana passada, mas que ainda não é suficiente para manter o futebol paranista na sequência de 2017.

Por isso, o técnico Wagner Lopes deverá escalar força máxima para o duelo decisivo contra o Bahia, na Vila Capanema. Será também um grande teste para o time paranista neste início de ano. O tricolor baiano investiu mais no futebol, sobretudo porque vai disputar a Série A do Campeonato Brasileiro em 2017. Por isso, o Paraná terá que ter uma grande atuação para conseguir chegar na terceira fase da Copa do Brasil.

Assim, o Paraná Clube terá força máxima para o duelo contra o Bahia. O técnico Wagner Lopes destacou a importância de se ter uma boa preparação para este compromisso, sobretudo pelo que esse jogo representa para o Tricolor. Uma das novidades no time paranista deverá ser o meia Guilherme Biteco. O jogador foi pela primeira titular na derrota para o Londrina, deixou o gramado no segundo tempo para estar inteiro para a partida pela Copa do Brasil.

“Está dentro do planejamento. A gente até resolveu poupá-lo. Ele estava bem em campo, poderia continuar, mas estamos pensando em opções para o jogo de sábado. Resolvemos tira-lo para seguir a programação, para não correr qualquer risco de contusão. Está dentro do planejamento e precisamos ter ele inteiro no sábado”, declarou o treinador paranista.

O goleiro Marcos, que estreou em 2017, mas que falhou no gol, deve voltar para o banco de reservas. A defesa paranista, que contou com os laterais Junior e Kaike, além dos zagueiros Arthur e Rayan, terá mais uma vez Igor e Diego Tavares nas alas, e os defensores Eduardo Brock e Airton.

O meio de campo do Paraná Clube deverá ter mais uma vez os volantes Gabriel Dias e Leandro Vilela. Na criação, Renatinho está garantido, mas o meia Guilherme Biteco pode ganhar a vaga de Matheus Carvalho. Na frente, Wagner Lopes não poderá contar com Vitor Feijão, machucado. Bruno Cantanhede atuou contra o Tubarão, agradou o treinador e pode ser o companheiro escolhido para jogar ao lado de Ítalo no ataque paranista.

“O Bruno foi muito bem, recompôs, ajudou na marcação e fechou a linha de passe. Ele correu muito. Então, a gente fica muito satisfeito com a atuação dele. Ele deu opção de profundidade. O Bruno foi muito bem mesmo e fez o que pedimos”, concluiu o comandante do Tricolor.