A derrota do Paraná Clube na estreia do Campeonato Paranaense deixou claro que o elenco ainda precisa de muitos ajustes. No último domingo, o Tricolor foi derrotado por 1×0 para o Operário, na Vila Capanema, no primeiro teste de 2019. Com muitos jogadores estreantes na equipe, o técnico Dado Cavalcanti ainda precisará trabalhar para definir a cara do Paraná neste ano.

+ Leia mais: Tricolor perto de anunciar ex-atacante do Furacão

Pressionado do início ao fim da partida pelo Fantasma e precisando manter seu jogo principalmente na defesa, o time paranista demonstrou que ainda falta aprimorar a transição ofensiva. As únicas poucas jogadas em que o Tricolor chegou perto de fazer o gol surgiram a partir de lançamentos longos. Todas as falhas apresentadas foram observadas pelo comandante.

“Precisamos evoluir na construção ofensiva. Criamos pouco, cedemos fácil à marcação forte do adversário e não construímos as opções de gol. Exageramos nas bolas longas. Precisamos melhorar essa aproximação (entre os setores)”, explicou.

+ Leia mais: Dado Cavalcanti ficou de “mãos atadas” na derrota paranista

O Tricolor, além de ter contado com o pouco tempo de preparação – foram apenas 17 dias de pré-temporada -, também encontrou outra dificuldade em seu primeiro jogo de 2019. Na partida, a equipe teve sete novos jogadores em campo, dos 14 já confirmados para a temporada.

Os zagueiros Eduardo Bauermann e Fernando Timbó, o lateral Éder Sciola, os volantes Luiz Otávio e Kadu, o meia Higor Leite e o atacante Jenison fizeram sua estreia com a camisa paranista. Com tantos novatos, a falta de entrosamento ficou evidente. Ainda com todos os problemas enfrentados, Dado viu o lado positivo da partida.

+ Também na Tribuna: Em prévia da Segundona, Paraná perde pro Operário

“Vejo virtudes nessa derrota. Foi a estreia de muitos desses jogadores. Com a evolução física, com a repetição e mais jogos nossa equipe tende a encorpar. Corrigindo os erros, nossa equipe vai melhorar e crescer na competição”, avaliou.
E para conquistar esse crescimento, o treinador quer ainda contar com novos atletas que possam deixar o Paraná como ele imagina. No ataque, por exemplo, o Tricolor deve anunciar em breve mais uma peça. Cléo, ex-Athletico, já treina no Ninho da Gralha e deve aumentar o leque de opções de Dado.

Na segunda etapa da partida diante do Operário, o atacante Keslley, jogador da base que começou a ganhar espaço no final do ano passado, saiu de campo com dores no pé. Como não está certo que o jogador tenha condições físicas para atuar no próximo compromisso do Tricolor, na quinta-feira (24), diante do Foz do Iguaçu, na Vila Capanema, Dado já pensa em um plano B e confirmou que há mais peças a caminho.

+ Confira a classificação do Campeonato Paranaense

“Ainda tenho alternativas. Tem o (Rodrigo) Carioca, alguns meias que fazem função de lado e o Juninho (lateral) que jogou ali no ano passado. Mas estamos atentos (ao mercado). Não por esse motivo (da ausência do Keslley), mas já estávamos estamos atrás de um jogador com essas características por entender que é necessário”, disse.

Além de novas contratações, o treinador ainda quer utilizar outros jogadores que já chegaram ao Ninho da Gralha, mas não estiveram em campo nesse primeiro compromisso. Caso dos volantes Fernando Neto e Alejandro Márquez, e do meia Itaqui, cotados para serem titulares, mas que não estavam aptos a estrearem.

“Temos alguns atletas ainda em condição abaixo do ideal. Temos alguns jogadores que devem estrear à frente, assim que estiverem em condições devem assumir a titularidade. Tem coisas ainda para mudar no contexto”, finalizou.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!