Já tratando o rebaixamento do Paraná Clube à segunda divisão como uma realidade, o técnico Dado Cavalcanti está praticando a arte do desapego nesta reta final de Brasileirão, principalmente no que se refere aos números negativos na competição. O treinador garantiu que prefere deixar de lado o retrospecto ruim na Série A e projeta evolução do time paranista nas sete rodadas restantes do torneio.

+ Leia mais: Tricolor observa piazada da base já de olho em 2019

“Se for analisar os números, são todos negativos. Todos contam negativamente. Gols tomados, feitos, posse de bola. É algo que eu desapeguei e não vai influenciar diretamente no meu trabalho. Vamos buscar a evolução individual dos atletas, extrair o máximo deles e a consequência será no jogo. Por mais que tenhamos feito jogos abaixo, já vi algo de positivo, uma evolução e as correções passam por isso, para melhorar”, apontou o treinador.

+ Também na Tribuna: De volta ao Paraná, Alesson comemora chance

Para ter tal evolução, o técnico Dado Cavalcanti deve fazer no máximo uma mudança no Paraná para o duelo contra o Vitória, neste domingo (4), às 16h, na Vila Capanema. O treinador salientou que a melhora no nível de atuação passa pela repetição na escalação e na formação da equipe.

+ Veja ainda: Paraná Clube tem números que beiram o desespero

“Essa é a minha intenção. O excesso de mudanças no traz alguns prejuízos e a principal delas é na dinâmica de jogo. A gente sabe que precisa melhorar muita coisa e só vamos fazer repetindo escalações, corrigindo perspectivas. Então, a minha ideia é a manutenção e, se acontecer serão no máximo duas trocas. É a ideia inicial manter a base do jogo do Cruzeiro e vamos buscando a evolução na sequência de jogos”, reforçou.

+ Confira: Veja a classificação do Brasileirão

Apesar da situação complicado e podendo já ser rebaixado já nesta rodada, Dado espera ter o trabalho recompensado com um bom resultado diante do Vitória. A equipe baiana ocupa a vice-lanterna e, diferente do Paraná, ainda tem boas chances de se livrar do rebaixamento.

“Não esperamos por nenhum milagre, nenhuma mágica. Esperamos ser recompensados pelo trabalho, pela dedicação e acima de tudo por uma partida melhor. Esperamos ser mais eficientes em um jogo em que a gente erre menos e não tome tantos gols como em outras partidas”, finalizou o treinador.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!