O técnico Rogério Micale será obrigado a mexer na zaga do Paraná Clube para o duelo diante do Internacional, neste domingo (19), às 11h, em Porto Alegre. Essas constantes alterações na defesa têm virado rotina para o treinador que, para o embate diante do Colorado, perdeu o zagueiro Cléber Reis, expulso ainda no primeiro tempo do empate em 1×1 diante do Botafogo, na Vila Capanema, no último domingo (12).

O defensor paranista se envolveu em uma confusão generalizada já na reta final do primeiro tempo e acabou tomando cartão vermelho direto. O técnico Rogério Micale, apesar de lamentar a ausência de Cléber Reis no duelo diante do Internacional, elogiou a postura do zagueiro na confusão gerada em uma disputa de bola entre o atacante Silvinho e o volante Matheus Fernandes, do time carioca.

“O Cléber é o líder do grupo, um cara que a gente conta, firme, um xerife. Ele foi lá para realmente colocar ordem na casa. A gente está precisando disso, de o elenco estar junto, de não se conformar com as coisas, de não dar como morto. Lamento a ausência, pois é um jogador que a gente conta muito. É importante, até pela necessidade e pela carência que estamos tendo”, apontou.

Rayan corre por fora por uma vaga na defesa contra o Inter. Foto: Marcelo Andrade
Rayan corre por fora por uma vaga na defesa contra o Inter. Foto: Marcelo Andrade

Sem contar com o zagueiro, o treinador tem poucas opções para escalar a defesa. Charles e Jesiel ainda não estão à disposição. Diante do Botafogo, a única opção no banco era Rayan. No entanto, apesar da expulsão de Cléber Reis, Micale optou pela composição do lateral-esquerdo Igor na zaga ao lado de Renê Santos.

Assim, a tendência é de que Igor seja improvisado mais uma vez. Rayan também corre por fora para ser titular. De fato mesmo é que o treinador, para encarar o Internacional, perdeu seu melhor defensor.

Confira a classificação completa do Brasileirão

Cléber Reis, no entanto, esteve próximo de sair do Tricolor recentemente. Dias antes do duelo contra o Vitória, em Salvador, o zagueiro foi afastado do grupo por indisciplina. Foi perdoado, ganhou uma segunda chance e voltou melhor. Na rodada seguinte, diante do América-MG, fez, ao lado de Igor, uma das melhores partidas do Paraná Clube no aspecto defensivo.

Apesar de, nos últimos jogos, ter sofrido poucos gols, o time paranista tem um dos piores rendimentos defensivos do Campeonato Brasileiro. Com 24 gols sofridos até agora, o Tricolor tem a quinta defesa mais vazada da competição.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!