A temporada 2017 já começou no Paraná Clube. Neste sábado (03), o Tricolor definiu o seu novo comando executivo e técnico.  De São Paulo veio o executivo de futebol Rodrigo Pastana, que entre outros feitos no currículo, reconduziu o Guarani à Série B do Campeonato Brasileiro neste ano. E a primeira ação do novo homem-forte do futebol paranista foi a contratação do novo treinador. Wagner Lopes chega para implementar uma nova metodologia de trabalho, com a utilização de atletas da base, visando as disputas do Campeonato Paranaense, da Primeira Liga, da Copa do Brasil e da Série B, que, mais uma vez, é o principal objetivo do Paraná na temporada.

“As mudanças deverão ser profundas, o que é normal num cenário como este”, reconheceu Pastana, que nos últimos dias esteve conhecendo a estrutura do clube e do próprio departamento de futebol do Paraná. “O clube tem uma boa infraestrutura, mas que pode ser otimizada. O objetivo é estar com tudo ajustado até o dia 2 de janeiro, quando daremos início à nossa pré-temporada”, explicou o executivo em entrevista ao site oficial.

Rodrigo Pastana tem apenas 40 anos, mas já conta com vários acessos de divisões em seu currículo. Ele sabe que a volta à Série A nacional é a grande obsessão do Paraná Clube. “O sucesso é consequência de um trabalho realizado ao longo da temporada. Então, não prometemos título ou acesso, mas sim a coerência de um trabalho que possa resultar em um grupo equilibrado e competitivo”, ponderou. Foi com essa diretriz que Pastana obteve sucesso, nesta temporada, com o Guarani.

A volta do Bugre à Série B não foi o único feito na carreira de Pastana no futebol profissional. Em 2006, ele fez parte da equipe do Grêmio Barueri no acesso à Série B e, dois anos depois, o clube paulista chegava à Série A. Os outros acessos do executivo foram no Criciúma (2012) e Figueirense (2013). Além disso, no ano passado, corrigiu a rota do Ceará, que era lanterna na virada do turno e conseguiu se manter na Série B do Brasileirão, após a sua chegada.

Assim que oficializou o seu acerto com o clube, Pastana já encaminhou a contratação do técnico Wagner Lopes. Aos 47 anos, ele terá a sua primeira oportunidade no futebol paranaense. “Estou muito feliz com essa oportunidade. Sei da tradição do Paraná e do peso desta camisa”, disse o treinador, que relembra os vários confrontos que já teve com o Tricolor. “Em 2013, estava no São Bernardo, nos confrontos da Copa do Brasil. Também enfrentei o Paraná com o Atlético-GO, em 2014, e com o Bragantino, ano passado”, recordou em entrevista ao site oficial.

Lopes se prepara para o curso de pós graduação na CBF, entre os dias 6 e 16 de dezembro. “Assim que o curso terminar, estarei em Curitiba. Mas, já conheço a estrutura do Paraná e tenho a certeza de que vamos fazer um grande trabalho, mesclando jogadores da base no grupo principal”, disse o treinador.

“Gosto desse tipo de desafio, moldando esses garotos à nossa filosofia de trabalho”, explicou. Wagner Lopes chega junto com o auxiliar-técnico Sandro Rosa. “Jogamos 17 anos no Japão. Somos amigos deste sempre e nossos conceitos são parecidos. Por isso, mantemos esta parceria desde 2013”, concluiu o novo treinador do Paraná Clube.

Sol nascente

Wagner Lopes, como jogador, atual durante muitos anos no futebol japonês. Ele teve uma identificação tão grande com o país, que acabou se naturalizando japonês e até disputou a Copa do Mundo da França, em 1998, pela seleção nipônica.