O Paraná Clube voltou a ver mais de perto a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro da Série B. Com mais uma atuação irregular fora de casa, o time paranista, com direito a um golaço de bicicleta de Renato, perdeu para o Avaí por 1×0, sábado (5), na Ressacada, em Florianópolis, e permaneceu com 39 pontos, ainda na 15ª posição, só que agora com seis pontos à frente do Joinville, que é o primeiro time dentro da área de risco da segunda divisão.

O técnico Roberto Fernandes – que, a frente do Tricolor, somou sua quinta derrota em sete partidas e vem colecionando números muito ruins no comando do clube, alertou quanto ao risco de queda à Terceira Divisão e destacou a necessidade de pontuar diante do Paysandu, nesta terça-feira (8), em Belém.

“Antes desta rodada, o Paraná tinha, nos sites de estatística, menos de 1% de chance de queda. Tinha 0,6%. Com os resultados desta rodada, talvez o Paraná vá para 5% de chance de queda. Quem me conhece sabe que zona de conforto, comigo, não existe nunca, mas a situação que dá uma tranquilidade é que, quem está abaixo da gente, está se enfrentando. A gente precisa ter tranquilidade de fazer um jogo equilibrado com o Paysandu e tentar pontuar. Se isso não for possível, temos toda a possibilidade de nos livrarmos desta chance diante do nosso torcedor, contra o Criciúma”, declarou o treinador.

O duelo contra o Avaí foi equilibrado no primeiro tempo. O Paraná, com uma postura agressiva em certos momentos, chegou a criou duas boas chances de marcar, mas foi muito pouco para um time que queria, depois de muito tempo, voltar a vencer fora de casa. O time catarinense, que caminha a passos largos para conquistar o acesso e tinha no seu comando o técnico Claudinei Oliveira, fez um jogo seguro e conseguiu o gol da vitória em grande estilo. Aos 7 minutos do segundo tempo, Renato acertou uma linda bicicleta e venceu o goleiro Marcos.

A partir daí, o Tricolor acusou o golpe e o Avaí passou a criar seguidas chances de ampliar a vantagem e definir de vez a partida. Então, passou a brilhar a estrela de Marcos, que fez pelo menos três grandes defesas e evitou que o Paraná voltasse para casa com um placar mais elástico na bagagem. Para piorar, o time paranista, na metade da etapa final, ainda perdeu o lateral-direito Leandro Silva, expulso e deixou as coisas mais fáceis para a equipe catarinense garantir os três pontos.

O técnico Roberto Fernandes, que sempre explica seu desempenho ruim a frente do Tricolor pelo excesso de jogos fora da Vila Capanema, gostou do comportamento do time paranista no primeiro tempo. Pelas alterações que fez na equipe, o treinador considerou surpreendente o bom rendimento do Paraná nos primeiros 45 minutos de jogo.

“Eu acho que fizemos um primeiro tempo que até surpreende um pouco, pelo tanto de mexidas. Fizemos um jogo de igual para igual, tendo oportunidades em contra-ataques. Conversamos, no intervalo, que o Avaí viria para o tudo ou nada no segundo tempo, mas talvez a imposição foi maior e a gente acabou aceitando a pressão. Daí sai um lance daquele que tem que botar uma placa para o Renato. Um dos gols mais bonitos, se não o mais bonito, do campeonato”, finalizou Fernandes.