Com dez contratações já confirmadas e com o grupo ainda em formação por conta do alto número de jogadores que deixaram o clube ao final da última temporada, o elenco do Paraná terá mais duas semanas para conseguir se entrosar a ponto de largar bem na Primeira Liga, diante do Avaí, dia 25, na Vila Capanema. Com trabalhos físicos e iniciando as atividades com bola, o time paranista, pelo menos no começo da temporada, terá que se entender mais na base da conversa para deixar para trás o histórico negativo dos últimos anos.

E é justamente nesta boa comunicação que o zagueiro Eduardo Brock, recém-contratado pelo Tricolor, depois de disputar a Série B do ano passado pelo Brasil de Pelotas, espera suprir a falta de entrosamento neste início de trabalho.

“Vamos superar com treinamento, muito treinamento. Estamos trabalhando bastante e isso faz com que eu conheça meus companheiros. Tem jogadores chegando, mas é um grupo de fácil acesso, de boa comunicação e isso facilita o trabalho de reconhecimento do companheiro, fazendo com que a gente tenha o melhor resultado futuramente”, apontou o novo candidato a “xerifão” da zaga paranista em 2017.

O meia Zezinho, ex-Atlético, chega por enquanto para ser o comandante do meio de campo depois de uma passagem apagada pelo Ceará. O jogador espera, de fato, certa dificuldade de entrosamento no início das competições, mas acredita que com o tempo tudo será superado.

“Acredito que trabalhando, como a gente vem fazendo desde o primeiro dia, a gente supera. Estamos trabalhando mais a parte física, mas o professor (Wagner Lopes, técnico) já está implantando a sua forma que ele quer jogar. Nos primeiros jogos devemos ter dificuldade no entrosamento por a ser início de temporada, o que é normal. Então a gente pede paciência ao nosso torcedor”, frisou.

Apesar de ter apenas 25 anos, mas com passagens por Grêmio e Juventude, Brock já tem experiência de sobra e depois de pouco mais de uma semana de trabalho, gostou do que viu. O zagueiro elogiou o grupo e o clima criado neste início de pré-temporada.

“O clima está bom. Venho conhecendo meus companheiros. Não estou sabendo de quem fica e quem sai, ou outras situações adversas. Estou vendo um clima muito bom. Espero que continue sempre para, quando tiver uma situação negativa, a gente possa saber lidar da melhor forma possível”, pontuou ele.

Com 18 saídas ao todo com relação ao time que terminou a última temporada e onze novas caras já apresentadas, o Tricolor segue em fase de reconstrução visando as disputas da Primeira Liga, Campeonato Paranaense, Copa do Brasil e Série B. Além dos jogadores que estão disputando a Copa São Paulo de Futebol Júnior e que devem integrar o time principal, pelo menos mais três reforços devem ser anunciados pela diretoria nos próximos dias.