A relação entre o Paraná Clube e a sua torcida sofreram um abalo nas últimas semanas. Após grandes vitórias, participações empolgantes e a retomada do orgulho do torcedor, empates e derrotas deixaram uma ponta de preocupação. O triunfo construído aos trancos e barrancos diante do Náutico, após uma viagem desgastante e o abatimento pela morte de Jonas Pessalli, serviu para mostrar que a trajetória paranista na Série B será difícil, mas que é possível sonhar com o acesso – ainda mais em uma competição equilibrada como a Segundona. Mas, para isso, é preciso vencer em casa, como no jogo de hoje, às 20h30, diante do Figueirense, na Vila Capanema.

Apesar de ter um ótimo aproveitamento em casa na temporada, na segunda divisão o rendimento paranista na Vila Capanema não é dos melhores. Foram três jogos, vencendo o Goiás, empatando com o Paysandu e perdendo para o Guarani. Para o técnico Cristian de Souza, há um motivo claro para a queda de rendimento em casa. “Nós temos que retornar, ter mais tranquilidade nas partidas, valorizando aquilo que sempre tivemos forte, que é a organização defensiva”, comentou.

Ao chegar no Paraná, o treinador buscou soluções ofensivas – tanto que já colocou Daniel Morais, Felipe Alves, Pedro, Nathan, Rafinha, Robson e Rafhael Lucas como homens de referência nesse pouco mais de um mês de trabalho. Mas o time ao mesmo tempo foi perdendo consistência defensiva, sofrendo com as seguidas alterações (Leandro Vilela ou Cristovam na lateral-direita, Assis ou Igor na esquerda, Wallace e Rayan revezando na zaga, as lesões de Marcos e Léo) e sofrendo com falhas nas bolas paradas.

E quando o Tricolor se mostrou mais desequilibrado, na derrota para o Guarani, o torcedor não perdoou. Cobrou e pediu mais do time. Por isso, a expectativa dos jogadores e da comissão técnica é de que esta noite a galera volte a apoiar – como fez em toda a temporada. “Vai ser muito importante o comportamento da nossa torcida. A torcida tem que ser inteligente, tem que ter paciência. Não podemos iniciar o jogo e já ter a torcida vaiando, cobrando porque ela tem que entender a nossa dificuldade hoje. O papel do torcedor na sexta-feira (hoje) vai ser fundamental”, disse Cristian de Souza.

Confira a classificação da Segundona!

Mesmo do banco de reservas, pois Rayan deve voltar ao time, o zagueiro Wallace também quer ver o respaldo dos torcedores do Paraná. “A torcida não tem que desacreditar da equipe, né? O mais importante é que a gente está ciente de que temos que voltar a jogar bem, temos que voltar a vencer e voltar a brigar lá em cima na tabela. O que a gente tem a dizer para o torcedor é que confie na gente e possa nos apoiar”, avisou.

A volta de Rayan, que pediu para não enfrentar o Náutico para ajudar a família de Jonas Pessalli nos trâmites burocráticos da liberação do corpo do jogador para o velório e o enterro no Rio Grande do Sul, deve ser a única novidade da equipe. Renatinho deve ficar no banco de reservas, e a expectativa é que Guilherme Biteco tenha condições de jogar mais tempo. “O Biteco tem se mostrado muito valente, muito competitivo, muito homem. Está assumindo essa responsabilidade, mesmo sentindo um desconforto forte no joelho, e se colocando à disposição. Ele quer ajudar”, finalizou Cristian de Souza.

Ficha técnica

SÉRIE B
1º Turno – 7ª Rodada

PARANÁ CLUBE x FIGUEIRENSE

Paraná
Richard; Cristovam, Rayan, Eduardo Brock e Igor; Leandro Vilela, Gabriel Dias, Minho e Guilherme Biteco; Robson e Felipe Alves.
Técnico: Cristian de Souza

Figueirense
Thiago Rodrigues; Weldinho, Bruno Alves, Naylhor e Iago; Zé Antônio, Dudu Vieira e Marco Antônio; Jorge Henrique, Henan e Luidy.
Técnico: Marcelo Cabo

Local: Vila Capanema
Horário: 20h30
Árbitro: Luiz César de Oliveira Magalhães (CE)
Assistentes: Naílton Júnior de Sousa Oliveira (CE) e Renan Aguiar da Costa (CE)